― Advertisement ―

spot_img
Home+ MaisNegóciosEm Curitiba, construções sustentáveis apostam no uso do gás canalizado

Em Curitiba, construções sustentáveis apostam no uso do gás canalizado

Em Curitiba, construções sustentáveis apostam no uso do gás canalizado

Conforto, segurança, praticidade, funcionalidade, lazer e sustentabilidade. Hoje, a preocupação com o meio ambiente e com os recursos naturais deixou de ser apenas uma tendência e se incorporou ao conceito de morar bem. Curitiba se destaca neste cenário – a capital paranaense concentra o maior número de edificações com a certificação LEED (concedida para construções sustentáveis) no Sul do Brasil, segundo dados do Green Building Council (GBC).

            Dentre os itens que tornam um edifício “verde” está a eficiência no uso de energia e a escolha de soluções e tecnologias econômicas e que reduzem o impacto ambiental. E é por isso que um número cada vez maior de construções está optando pelo gás natural canalizado.  Em junho, a Companhia Paranaense de Gás (Compagas) superou a marca dos 1.000 edifícios que utilizam o combustível, o que corresponde a mais de 45 mil unidades domiciliares com o gás canalizado. “O gás natural é um combustível mais econômico e sustentável, que vai ao encontro do que o consumidor, cada vez mais exigente e comprometido com o futuro do planeta, procura”, revela Rafael Longo, diretor técnico-comercial da Compagas. A Companhia atua no segmento residencial desde 2002, com a ligação do Edifício Millenium, e a meta é, até o final do ano, chegar a 47 mil unidades residenciais atendidas pelo gás canalizado.

            A marca de 1.000 edifícios que consomem o gás natural canalizado no Paraná é comemorada pela Compagas com a ligação do primeiro residencial do país a conquistar a pré-certificação ambiental LEED Nível Ouro, o LLUM Batel – da Construtora e Incorporadora Laguna. O empreendimento residencial foi construído para consumir 25% menos energia, 20% menos água e priorizar o uso racional dos recursos naturais, com o máximo de aproveitamento das fontes de energia. As 15 unidades domiciliares do empreendimento utilizarão o gás natural para a cocção de alimentos e para o aquecimento de água e ambientes. “Receber a pré-certificação LEED Gold mostra que a Laguna está acima dos padrões nacionais. O selo não define apenas os parâmetros de sustentabilidade da obra, mas também estabelece métricas de qualidade. E um desses aspectos sustentáveis é o aquecimento de água a gás, com sistema Smartstart* que permite que a água já chegue quente ao chuveiro”, explica André Marin, diretor de incorporação da Construtora Laguna. No LLUM, além dos pontos de consumo do gás canalizado para fogões e aquecedores, em cada apartamento há um ponto de gás para lavadora e secadora de roupas. Na área comum do empreendimento há pontos para aquecimento da piscina, no salão de festas e no espaço Gourmet.

(*) O sistema Smartstart possibilita a recirculação da água fria parada na tubulação de volta ao aquecedor, de forma automática. Assim, não há desperdício de água enquanto se espera que a água quente chegue ao chuveiro.

O gás canalizado

            Utilizado para atividades de cocção e aquecimento nas unidades domiciliares e nas áreas comuns dos condomínios, como em salões de festas, zeladorias e churrasqueiras, o gás canalizado atrai pelo preço competitivo e por ser menos poluente que seus concorrentes. “Outra vantagem é o fornecimento contínuo, que elimina a preocupação do consumidor com estoque de combustível, além de não ser preciso destinar um local do condomínio para armazenar botijões de gás, otimizando as áreas comuns dos empreendimentos e reduzindo o fluxo de caminhões que atrapalham o trânsito e os moradores”, afirma Longo. 

          O gás natural não se confunde com o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) uma vez que este é distribuído por botijões ou cilindros, enquanto a distribuição do gás natural se dá por meio de redes subterrâneas. Além disso, por ser mais leve que o ar e se dissipar facilmente na atmosfera em caso de vazamentos, o gás natural é mais seguro, o que reduz os riscos de acidentes. No aspecto ambiental, possui uma queima mais limpa do que os seus concorrentes, contribuindo para a redução da emissão de poluentes na atmosfera.

          Atualmente, a Compagas conta com a rede de distribuição para atender o segmento residencial em mais de 20 bairros de Curitiba, dentre os quais se destacam Água Verde, Batel, Bigorrilho, Portão, Vila Izabel, Centro, Rebouças, Alto da XV, Juvevê e Cabral. Ponta Grossa, nos Campos Gerais, também conta com o fornecimento de gás canalizado para o segmento residencial e o próximo município a ter este atendimento será São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. <aline@iemecomunicacao.com.br>