No Dia Mundial do Meio Ambiente, Sinepe/PR lança projeto sobre reciclagem em Guarapuava

Dar o destino correto para cada resíduo é fundamental para o equilíbrio do meio ambiente e para o desenvolvimento de uma economia circular. A fim de disseminar o conceito de sustentabilidade e reforçar a importância da reciclagem do óleo vegetal e do reaproveitamento de caixinhas de leite, o Sindicato das Escolas Particulares – Sinepe/PR lança, no Dia Mundial do Meio Ambiente, o projeto Planeta Reciclável em Guarapuava.

            Nesta quarta-feira, dia 05 de junho, a partir das 14h, a diretora-presidente do Sinepe/PR – Regional Central, Dilceméri Padilha de Liz, recebe gestores e coordenadores de escolas particulares no Atalaia Palace Hotel para a apresentação do projeto. Em Guarapuava, o Planeta Reciclável será desenvolvido em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente, a GRT Óleo Vegetal e o Projeto Brasil sem Frestas.

            Já realizado em Curitiba, Ponta Grossa e Foz do Iguaçu, o projeto – que completa 10 anos em 2019 e já atingiu mais de 27 mil estudantes – inclui um ciclo de palestras sobre educação ambiental,  noções de reciclagem e reaproveitamento nas escolas inscritas. Participam alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental de instituições de ensino particulares associadas ao Sindicato. Após as palestras, os estudantes são convidadas a participar de um concurso cultural para desenvolver trabalhos sobre a reciclagem do óleo vegetal e de caixinhas de leite. “É uma forma que encontramos para ensinar aos jovens o caminho e a importância da sustentabilidade, além de colaborarmos com a proteção do meio ambiente, fazendo esse material voltar à cadeia produtiva, ajudando quem precisa”, explica Esther Cristina Pereira, presidente do Sinepe/PR.

Reciclagem

            Um litro de óleo é capaz de contaminar até 25 mil litros de água. Por isso, descartá-lo de forma correta é tão importante. E o processo é bem simples – basta armazenar o óleo usado em uma garrafa pet ou em um recipiente de plástico e levá-lo até pontos de coleta que dão o devido destino ao material.

            As caixinhas de leite do tipo longa vida também podem ser recicladas, mas o processo é bastante complexo – e caro. Por isso, o Projeto Brasil sem Frestas utiliza o material para vedar casas de famílias que vivem em condições precárias, protegendo-as contra o vento, frio e chuva, melhorando a qualidade de vida destas pessoas.

Comments are closed.