Analógico x tecnológico: profissionais têm se adaptado às tecnologias para não ficar de fora do mercado de trabalho

Atualmente, o Brasil tem mais de um celular por habitante. A Fundação Getúlio Vargas realizou neste ano a 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas e os dados mostram que no Brasil há mais de 230 milhões de celulares ativos. Quando se fala em outros dispositivos, como tablets, notebooks e computadores, a pesquisa mostrou que o país atingiria, em 2019, a marca de 420 milhões de aparelhos digitais ativos.

Dados da Pesquisa Paradigma Digital, realizada pela Talenses e Digital House, mostrou que 85% das empresas de serviço estão em busca de profissionais digitais. Segundo a pesquisa, a procura vai além de pessoas com habilidades tecnológicas, e está relacionada também com a transformação digital do mercado de trabalho. Dentre as profissões que têm sofrido mudanças drásticas em relação às suas funções, destaca-se a do corretor de imóveis.

A tecnologia é uma aliada à atuação do corretor de imóvel, ajudando-o a se conectar com os clientes e oferecendo mais agilidade no dia a dia. O empresário Paulo Roberto de Oliveira é um exemplo. Com mais de 20 anos de experiência no ramo imobiliário, Paulo sempre procurou sistematizar seus processos, acreditando que era a forma mais prática de executar seu trabalho. Devido a uma necessidade de tornar o processo mais ágil e competitivo no mercado imobiliário, desenvolveu o Avalion – sistema online de avaliação imobiliária, que auxilia os profissionais a terem mais agilidade em seus processos, seja em pesquisa, angariação, opinião, análise ou avaliação de determinado imóvel de forma organizada. “O Avalion foi desenvolvido pela necessidade de deixar o processo mais ágil e otimizado. O que antes demorava dois dias para ser elaborado, hoje leva algumas horas. Em mais de 50 dias, temos mais de 700 usuários cadastrados”, afirma.

No Brasil, ainda há pessoas consideradas analógicas, ou seja, aquelas pessoas que permanecem resistentes ao uso das tecnologias disponíveis. Se antes a profissão do corretor de imóvel era restrita à sua carteira de clientes, a regiões específicas e à sua área de atuação, sendo venda ou aluguel, nos dias de hoje a realidade é outra. Com o avanço tecnológico estes profissionais viram a necessidade de se adaptar. Mariano Dynkowski, da Imobiliária M&D, não teve objeção em se adaptar às tecnologias, principalmente a partir dos anos 2000, quando, segundo ele, “a resistência foi terminando e as pessoas começaram a utilizá-la”. Corretor de imóveis há 45 anos, Mariano começou a utilizar recentemente o Avalion em suas atividades diárias e, além de aprová-lo, também disse não ter dificuldades para mexer no sistema.

Mais informações sobre o Avalion, acesse www.avalion.com.br.

Comments are closed.