Positivo investe na valorização e qualificação de profissionais cascavelenses

0
387

Professores e funcionários da escola Passo Certo ganham bolsas de estudo para formação continuada e aperfeiçoamento

A apreensão que tomou conta dos profissionais que trabalham na escola Passo Certo, em Cascavel, com a notícia da compra da instituição pelo Grupo Positivo, se transformou em alegria e motivação, quando os colaboradores descobriram que, por agora fazer parte do mesmo grupo, têm bolsas de estudo na Universidade Positivo. “Trabalhamos com Educação e estimulamos todos os mais de 4 mil colaboradores a se manterem sempre em desenvolvimento, pois o saber é um dos valores do Grupo Positivo e a formação continuada é a garantia de um futuro melhor a todos”, afirma o presidente da Divisão de Ensino da Positivo Educacional, Paulo Arns da Cunha.

A monitora de Língua Portuguesa Vanessa Casagrande Soares foi uma das primeiras funcionárias da escola Passo Certo a pedir a bolsa de estudos. Ela é formada em Letras e, como atende algumas crianças com necessidades especiais – incluindo o filho, que é autista –, sempre quis fazer a pós-graduação em Psicopedagogia Institucional, para melhorar o atendimento a essas crianças. Mas tinha algumas dificuldades em fazer o curso, incluindo a financeira. “Com esse investimento do Positivo, vi que era a hora certa, o curso certo e com o custo certo. Me atirei de cabeça”, diz ela, que vislumbra não só atender melhor os alunos, mas também o crescimento na carreira.

E a monitora ficou tão empolgada com a oportunidade que passou a incentivar outros funcionários, dos zeladores aos professores. Ela brinca que virou “ponto de informações sobre as bolsas de estudo”. Ela iniciou a pós há duas semanas e já está terminando os dois primeiros módulos, na modalidade a distância (EAD). “Gostei muito do material do curso, a bibliografia é bem esclarecedora, leve, voltada realmente ao chão da escola. Não é só teoria. É aquilo que eu realmente consigo aplicar no meu trabalho”, analisa Vanessa.

Gestão escolar

A coordenadora de secretaria da escola Passo Certo, Aline Zenere Diniz, também está vislumbrando uma oportunidade de crescer na carreira e se inscreveu em uma pós-graduação em Gestão Escolar. “Com a oportunidade de fazer uma pós-graduação, a gente fica empolgada. Não pensei duas vezes. E isso valoriza muito o funcionário. Quanto mais capacitação, melhor, tanto para a escola quanto para o nosso lado pessoal”, diz ela, que trabalha há seis anos na instituição de ensino.

Quem já chegou lá

A própria diretora da escola Passo Certo, Lorena Paoloni, é um exemplo de crescimento profissional por meio da formação continuada. Ela entrou no Grupo Positivo há 13 anos, como estagiária, quando fazia faculdade de Educação Física, em Curitiba. Formou-se e trabalhou por oito anos como professora regente em unidades do Colégio Positivo. Aproveitou as bolsas de estudo na Universidade e, a cada dois anos, via a carreira alavancar e o salário melhorar. Virou auxiliar de direção e, logo em seguida, Gestora do Departamento de Esportes e Cultura, até seguir para Cascavel como diretora.

“O estudo fez toda a diferença na minha carreira. Depois de formada, fiz três especializações na área de gestão. Foram três MBAs, todos pelo Positivo. Sem contar os inúmeros cursos sobre liderança, gestão de pessoas, inglês, oferecidos pela Universidade. Agora que eu entrei no mestrado, surgiu a oportunidade de assumir um cargo de direção. Basta querer e se capacitar que as portas se abrem. Fiz todos os cursos com bolsa de estudos. Só bastou eu escolher o curso e me inscrever”, explica Lorena, ressaltando que a capacitação melhora a qualidade de vida de alunos, professores, funcionários e das famílias de todos esses envolvidos.

Segundo Arns da Cunha, a formação continuada dos professores é um grande passo para melhorar a Educação do País. No ranking mundial que mede a qualidade da educação em 40 países, o Pisa, o Brasil está em penúltimo lugar. Os sete primeiros colocados no Pisa são asiáticos. “Esses países têm em comum a cultura de valorização e respeito ao professor. Em Cingapura, por exemplo, cada professor dedica um mínimo de 100 horas por ano a cursos de capacitação. E sabe-se que, quanto maior o investimento em qualificação, maiores os salários e melhor a qualidade do ensino”, justifica o presidente.

 

 

 

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende cinco unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo –  Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo Hauer e o Colégio Positivo Internacional atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Os alunos têm à sua disposição atividades complementares esportivas e culturais, incentivo ao empreendedorismo e aulas de Língua Inglesa diferenciadas, além de aprendizado internacional na unidade que leva essa proposta em seu nome. Em 2016, foi incorporado ao Positivo o Colégio Positivo Joinville (SC) e, em 2017, o Colégio Positivo – Santa Maria, em Londrina (PR). Em 2018, o Positivo ganhou duas unidades em Ponta Grossa (PR): Colégio Girassol e Positivo Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades do Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR), e duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR). Em 2020, o Positivo inicia o ano letivo com mais duas unidades em Curitiba: Colégio Positivo – Água Verde e Colégio Positivo – Boa Vista.

  • vanessa casagrande fisica

Comments are closed.