Atraso da menstruação nem sempre é sinônimo de gravidez; conheça outras causas

Ginecologista Dra. Ana Carolina Lúcio Pereira aponta os principais fatores que podem causar o atraso ou a interrupção completa do processo de ovulação

Atraso da menstruação nem sempre é sinônimo de gravidez; conheça outras causas

Quando a menstruação atrasa, grande parte das mulheres acredita que seja devido à gravidez, sem levar em conta qualquer outra possibilidade. Porém, ao contrário do que muitas pensam, o atraso da menstruação pode ser causado por diversos fatores e não apenas pela gestação. “Primeiro, é importante ter em mente que, ao longo da vida, o organismo da mulher passa por uma série de alterações e, logo, variações no ciclo menstrual são comuns, principalmente durante a adolescência, amamentação e próximo à menopausa”, afirma explica a Dra. Ana Carolina Lúcio Pereira, ginecologista membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia). Ainda assim, ao notar atraso na menstruaçãoé importante comunicar seu ginecologista, já que a variação no ciclo menstrual também pode ser sinal de uma condição mais séria. Está com a menstruação atrasada e não sabe o porquê? Confira abaixo alguns fatores que podem ser a causa desse atraso:

Exercícios físicos intensos: Muitas atletas profissionais tendem a sofrem com atraso da menstruação. “Isso porque a atividade física, quando realizada em excesso, pode levar a alterações hormonais. Um exemplo é o aumento da prolactina, hormônio envolvido na regulação da ovulação e do ciclo menstrual, o que pode causar o atraso da menstruação”, afirma a Dra. Ana.

Estresse: Durante períodos de estresse liberamos hormônios que podem interagir com o ciclo hormonal regular da mulher e assim desorientar o organismo. Como resultado o ciclo menstrual pode ser interrompido e a menstruação pode ocorrer mais tarde ou até mesmo não acontecer. “Isso ocorre pois, quando estamos em um estado de estresse, nosso sistema dá prioridade a nossa segurança, deixando outras funções, como a ovulação, em segundo plano. Logo, nossos níveis de estresse e atividade cerebral vão definir o melhor momento para a ovulação ocorrer”, destaca a médica.

Uso contínuo de anticoncepcionais: “Alguns métodos contraceptivos, principalmente a pílula anticoncepcional de progesterona e o DIU hormonal, podem fazer com que as menstruações cessem por completo, já que provocam grandes alterações hormonais no organismo”, afirma a especialista.

Má alimentação: Segundo a ginecologista, o ciclo menstrual é uma cadeia delicada de eventos que necessita que hormônios específicos sejam liberados em momentos certos para ocorrer adequadamente. “Logo, uma alimentação inadequada e distúrbios alimentares podem fazer com que a menstruação atrase, já que o organismo precisa de nutrientes e energia para produzir corretamente os hormônios necessários para ovulação”, completa.

Pré-menopausa: De acordo com a Dra. Ana, com a proximidade da menopausa, fenômeno natural do organismo da mulher que ocorre geralmente após os 40 anos, os níveis de estrogênio diminuem. E, como o estrogênio é um dos principais hormônios envolvidos no processo de ovulação, é comum que a menstruação se torne menos frequente nesse período.

Síndrome do ovário policístico: Atingindo cerca de 15% das mulheres em idade reprodutiva em todo o mundo, a Síndrome do Ovário Policístico (SOP) é uma desordem endócrina que faz com que os cistos que aparecem durante o processo de ovulação permaneçam nos ovários. “Como resultado, a SOP modifica a estrutura ovariana, que pode triplicar de tamanho, e interfere no processo de ovulação, impedindo que os óvulos sejam liberados e, consequentemente, atrasando a menstruação. Por esse motivo, a doença é uma das principais causas da infertilidade em mulheres”, alerta a especialista. Outras doenças do aparelho reprodutor, como endometriose e tumores, também podem afetar a regularidade da menstruação.

Alterações na tireoide: “Os distúrbios da tireoide, como o hipotireoidismo e o hipertireoidismo, também figuram entre as causas do atraso na menstruação. Isso porque os hormônios da tireoide influenciam diretamente o funcionamento adequado dos ovários. Logo, quando em desequilíbrio, podem favorecer a irregularidade do ciclo menstrual.”

Por fim, é importante lembrar que uma pequena variação na regularidade do ciclo menstrual é perfeitamente normal. De acordo com a especialista, muitas mulheres passam por alguma variação de mês em mês em seus ciclos, que pode atrasar cerca de dois ou três dias, mas em alguns casos pode chegar até uma semana de atraso.  “Porém, se você não menstrua há mais de três meses, mas não está gravida ou na menopausa, é fundamental consultar seu médico. Apenas ele será capaz de realizar uma avaliação e diagnosticar a causa exata do problema, indicando assim o melhor tratamento para cada caso”, finaliza a Dra. Ana Carolina Lúcio Pereira.

FONTE: DRA. ANA CAROLINA LÚCIO PEREIRA: Ginecologista, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Associação Médica Brasileira e graduada em Medicina pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro em 2005. Especialista em Medicina do Tráfego pela Abramet, a médica realiza consultas ginecológicas, obstétricas e cirurgias, atuando na prevenção e tratamento de doenças gineco-obstétricas com foco em gestação de alto risco. [email protected]

Comments are closed.