Greve dos Correios: Pequenos negócios que atuam online devem buscar alternativas para serviços de logística

Ideal é que os empresários diversifiquem fornecedores e não dependam apenas de uma única empresa

Para o empreendedor que recorreu ao ambiente digital como canal de venda mesmo antes da pandemia do coronavírus e para aqueles que estão começando a explorar os recursos da internet para vender mais, o Sebrae recomenda dar atenção especial aos processos que envolvem a logística e o transporte da empresa. É fundamental que os donos de pequenos negócios conheçam as possibilidades de serviços de transporte e entrega existentes no mercado. Pesquisa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) apontou que os gastos com frete representam 65,9% dos custos logísticos das empresas que atuam na internet, seguido de gastos com armazenagem (23%) e gastos com manuseio (14,8%).

De acordo com o analista de inteligência de mercado do Sebrae Ivan Tonet, a logística é fundamental para a sobrevivência do comércio online. Segundo ele, uma logística eficiente pode trazer benefícios não só na redução de custos operacionais, mas também na qualificação de parceiros e outros canais de venda, como marketplaces, além da satisfação de clientes com compras futuras. “Boa parte da satisfação do cliente dependerá da logística. A qualidade da entrega de um produto adquirido pela internet aliada à experiência de compra faz toda a diferença e nem sempre é simples garantir isso, sobretudo no que se refere ao tempo”, explicou.

Pesquisa de Varejo Online, realizada pelo Sebrae em 2018, também afirma que 75% das lojas virtuais existente no país atualmente são de micro e pequenas empresas, sendo que a maioria depende dos Correios para realizar as entregas. Para o analista do Sebrae, essa dependência vem sendo reduzida ao longo dos últimos anos: “Já existe um movimento das grandes empresas no sentido de buscar alternativas além dos Correios, mas entre os pequenos negócios ainda não é uma realidade disseminada, principalmente em localidades mais isoladas do país, onde apenas os Correios conseguem chegar”.

Tonet explica que o empreendedor deve sempre ter mais de um fornecedor para que não seja surpreendido por uma greve dos Correios, por exemplo. “Não vale a pena depender somente dos Correios, como também não vale a pena depender apenas de uma transportadora ou fornecedor desse tipo de serviço. E isso serve para logística ou qualquer outro fornecimento que o empreendedor tenha, seja de insumos ou serviços para a empresa”, destacou.

Antes de procurar outras opções de serviços de transporte e entrega, o Sebrae recomenda que o empresário utilize os chamados comparadores de frete que simulam os serviços oferecidos pelas principais empresas. Uma delas é a plataforma Melhor Envio, startup apoiada pelo Sebrae que realiza cotações nos Correios, Jadlog, Azul Cargo e Latam Cargo. A startup cobra apenas pelo frete contratado e as simulações são gratuitas. Ela também disponibiliza etiquetas para o rastreamento de pedidos.

  • Confira outros pontos que o empresário deve ficar atento ao contratar uma empresa de serviços de logística:
  • Observe os pontos de malha da distribuição da empresa, a partir de onde o pequeno negócio está localizado, até onde quer fazer entregas.
  • As empresas que já realizam rotas que fazem parte do seu raio de atuação podem oferecer um preço melhor pelo serviço.
  • Busque informações sobre a pontualidade da empresa e verifique as reclamações que ela já recebeu.
  • Saiba as restrições que a empresa possa ter em relação aos produtos transportados. Algumas limitam peso, dimensões do produto e até mesmo tipo de produto para envio.