Bons ventos à náutica no Brasil

O paulista Fernando Assinato, CEO dos estaleiros brasileiros Armatti Yachts e Fishing Raptor, além da revendedora BoatSP, percebeu expansão significativa dos negócios mesmo diante da pandemia. Com o aumento da produção de barcos em mais de 35% no primeiro semestre deste ano, a fábrica passou a contar com cerca de 7.900m² de área.
0
166

 

Outubro, 2020. “Dentro de uma visão de negócios, a pandemia também direcionou o público para outros tipos de lazer como é o caso da navegação”, conta Fernando Assinato, CEO dos estaleiros Armatti Yachts e Fishing Raptor. Além disso, aliado à qualidade das conceituadas marcas, nos últimos seis meses, a produção de lanchas cresceu em 35% em relação ao mesmo período do ano anterior, direcionada ao mercado brasileiro e também ao exterior.

Segundo Assinato, a intenção é “finalizar a expansão da planta fabril, que já está em andamento, até o final deste ano, passando de 5.400m² para 7.900m² para atender à crescente demanda por barcos. Para manter a produção ativa e em crescimento exponencial, a estratégia é seguir investindo em novos projetos, qualidade, novos materiais e assim ampliar o portfólio das linhas”, explica.

Atualmente, a unidade de produção em São José, SC, produz 100% do portfólio brasileiro e também abastece outros países, especialmente da Europa e Ásia. As duas marcas possuem uma frota de 26 modelos de embarcações voltadas ao lazer e esportes aquáticos que vão de 21 a 48 pés, e a previsão é de que o estaleiro lance outros cinco modelos, sendo três modelos da marca Fishing Raptor e dois modelos da Armatti Yachts até o final de 2021.

Uma das novidades que terá sua primeira unidade entregue para um cliente paulista em novembro deste ano é o modelo de 42 pés da Armatti Yachts. Além deste, o estaleiro pretende lançar um modelo maior, que terá a sua primeira unidade apresentada ainda este ano. Em termos de mão de obra, mesmo diante da pandemia, todo o quadro de colaboradores do estaleiro foi aumentado, inclusive, com a expansão, e pretende fazer novas contratações que ocorrerão até o final do ano.

EMPREENDEDORISMO

Formado em engenharia mecânica e tecnologia industrial, o paulista Fernando Assinato encontrou uma chance de ampliar os negócios em 2016. Sempre atento aos números e às oportunidades de negócios, já comandava, desde 2011, uma das maiores e mais conceituadas revendas de embarcações do país, a BoatSP, com lojas em São Paulo (SP) e em Curitiba (PR). Foi quando assumiu os direitos e a produção das embarcações da renomada marca de pesca oceânica Fishing Raptor, além de lançar ao mercado brasileiro uma nova marca de embarcações premium: a Armatti Yachts.

 

“Já trazia mais de 10 anos de experiência no mercado náutico antes de abrir a BoatSP porque atuei como coordenador de vendas de motores internacionais para embarcações. Assim, visualizei uma oportunidade de mercado e abri, anos depois, a BoatSP para a comercialização de barcos nas capitais de São Paulo e Curitiba, além de escritório em Santa Catarina, que concentram os principais compradores. Na época, surpreendemos por entregar uma alta qualidade de atendimento ao segmento. Depois, decidi encarar o desafio de assumir a marca Fishing Raptor, uma linha já muito prestigiada de pesca oceânica, e finalmente lançar a linha premium Armatti Yachts, com design, conceito, tecnologias e acabamentos superesportivos”, relembra o empreendedor.

Seu tino para os negócios não o deixou na mão. Desde a apresentação da Armatti Yachts e da nova gestão da Fishing Raptor para o mercado em 2016, o crescimento em vendas tem sido constante. Além do mercado brasileiro, a produção vem crescendo para o mercado internacional com exportação.

Depois do lançamento das marcas, Assinato decidiu ir além e encarou o desafio de produzir as embarcações em uma fábrica própria na cidade de Santa Catarina. A planta fabril na região da Grande Florianópolis atende a produção nacional e internacional das duas marcas. “Ao lado de uma equipe altamente técnica, encaramos o desafio de produzir barcos. Percebi que assumindo a fabricação das marcas entregaria a qualidade exigida pelo cliente, prazos, acabamentos, materiais e tecnologias superiores. Essas informações concretas, a formação em engenharia e o tempo de atuação no segmento náutico lidando diretamente com clientes me deram a capacidade de agir mesmo diante de obstáculos”, conta.