Danilo Gusmão antecipa série de EPs audiovisuais com single e clipe “Bandeira”

Faixa é um chamado poético à resistência
0
113

Após estrear com seu álbum “OGÓ”, o cantor e compositor paulista Danilo Gusmão começa a revelar uma série de EPs temáticos e visuais com o single e clipe “Bandeira”. Serão quatro coleções de canções que irão reimaginar as faixas do debut do artista, se tornando “OGÓ – um álbum visual em quatro atos”. Filmado na Vila Maria Zélia, primeira vila operária do Brasil, o trabalho é assinado por Luiz Fernando Marques, diretor do Grupo XIX. O trabalho tem apoio do ProAC e foi imaginado como uma turnê de 8 apresentações, inviabilizadas pela pandemia. Agora, a faixa está disponível nas plataformas de streaming e como vídeo no YouTube.

Essa é uma nova interpretação de “Bandeira”, gravada anteriormente com voz, violão e rabeca. Agora, ganha banda completa e coro e traz uma mensagem poética de resistência das classes trabalhadoras diante do conservadorismo. “Bandeira” é um chamado em pleno período de eleições municipais e, para além dele, a cada dia que se inicia. A canção foi composta em 2013, num período latente que culminaria nas jornadas de junho.

O single anuncia o projeto, que reunirá um total de quatro EPs audiovisuais. Cada um deles reorganizará tematicamente as canções do primeiro álbum em novos arranjos estruturados para o espetáculo que não pôde estrear devido ao isolamento social. O primeiro fragmento, intitulado “peleja”, tem canções sobre resistência e luta política. O segundo, “poema”, passeia pela palavra como ferramenta transformadora do mundo. O terceiro, “aqui”, fala sobre a materialidade daquilo que é transcendental. E o último, “além”, para abrir o ano de 2021, pede a benção de Exu e todas as forças e conjura novas possibilidades por meio da música.

“OGÓ”, primeiro disco de Danilo Gusmão, teve como prerrogativa a instauração de uma egrégora tangível, uma rede de afetividade e resistência. O álbum foi gravado ao vivo com público dentro do estúdio e sua turnê teria direção cênica, figurinos, cenografia, desenho de luz e novos arranjos musicais para um espetáculo presencial que intencionava solubilizar a ideia de quarta parede, propondo um estreitamento entre público e artistas.

Diante das recomendações de saúde, o espetáculo foi reestruturado para um formato em vídeo. As canções de “OGÓ” foram regravadas com os novos arranjos elaborados para o show, incluindo quatro canções inéditas. “O intento inicial do projeto de aproximar artista e público se reconfigurou, mas o desejo de potencializar a criação artística como forma de luta cotidiana contra sistemas de opressão e em favor das coletividades possíveis se manteve, ainda mais emergencialmente diante do necessário distanciamento a que fomos submetidos”, analisa Danilo.

As influências de “OGÓ” transitam entre o cenário contemporâneo e clássicos da música brasileira. O primeiro trabalho foi todo realizado de forma independente por Danilo Gusmão e viabilizado por meio de um financiamento coletivo. Em sua nova encarnação, o disco entrega outros caminhos criativos do artista, que já prepara novas composições inéditas.

Além do single, “OGÓ – um álbum visual em quatro atos” sairá em EPs temáticos e, por fim, álbum, nas principais plataformas digitais. Cada um dos quatro fragmentos será lançado em vídeo durante lives com convidados especiais, que posteriormente se tornarão podcasts.

Assista a “Bandeira”: