Acesso ao financiamento imobiliário e aumento no preço do aluguel aquecem mercado do “primeiro imóvel”

Busca por apartamentos compactos cresce nos primeiros meses de 2021 e deve continuar crescendo, segundo Abecip

Acesso ao financiamento imobiliário e aumento no preço do aluguel aquecem mercado do "primeiro imóvel"
Apartamentos compactos são os mais procurados como primeiro imóvel
Crédito: Ronaldo Ronan Rufino/ Divulgação

A pandemia da Covid-19 trouxe grandes incertezas e preocupações à economia mundial. No entanto, o mercado imobiliário brasileiro seguiu na contramão, apresentando crescimento considerável durante todo o ano de 2020 e que é notado até o momento. Essa constatação se dá, principalmente, por dois fatores: taxa básica de juros, somada ao maior acesso ao crédito e financiamento imobiliário, que, por consequência, aumentou expressivamente a valorização por ativos reais, sobretudo imóveis. Isso significa que, investir em imóveis se tornou mais acessível e seguro, até mesmo para pessoas que estão nas faixas salariais menores.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o volume de crédito contratado subiu 58% no acumulado do ano passado, considerado um recorde. Para 2021, a perspectiva de crescimento é de 21%. “O acesso mais fácil ao crédito e juros ainda considerados baixos refletiram diretamente na busca por imóveis, que cresceu em todos os níveis durante o ano passado”, afirma o diretor comercial de incorporação do grupo A.Yoshii, Luiz Rogério Venturini, que abrange as construtoras A.Yoshii e Yticon. Para ele, a busca deve continuar alta, mesmo o recente anúncio do Comitê de Política Monetária (Copom) que aumentou de 2% para 2,75% ao ano da Selic.

Recentemente, a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) divulgou uma pesquisa que mostra que 97% dos empresários do setor pretendem lançar novos projetos nos próximos 12 meses e 92% comprarão terrenos no período. Um dos exemplos desse aquecimento, portanto, é a construtora Yticon, que, além das atividades nas cidades de Londrina e Cambé, no Paraná, e Presidente Prudente, em São Paulo, acaba de ingressar na cidade de Maringá (PR), com previsão de investir mais de R$ 300 milhões nos próximos dois anos no município.

O primeiro empreendimento lançado na “Cidade Canção” é voltado ao Programa Casa Verde e Amarela. De acordo com a Abrainc, em termos de vendas, o segmento do Programa encerrou o ano passado com uma alta de 39,2%, sendo que os empreendimentos participantes foram responsáveis por 77,8% das vendas residenciais das incorporadoras em 2020, contra participação de 70,2% em 2019. Como prova do bom momento, a construtora acumula outros 2 empreendimentos para esse mesmo segmento lançados apenas no ano de 2020, totalizando mais de 560 unidades, e a previsão de mais 3 empreendimentos que serão lançados em 2021, no total de 880 unidades.

 

Intenção de compra

Outra aposta da construtora se baseia na intenção de compra de uma parcela grande dos brasileiros, como demonstrada na pesquisa “Raio-X FipeZap”, que avaliou a demanda por imóveis no quarto trimestre de 2020. Nela, 47% das pessoas afirmaram que tinham a intenção de adquirir imóvel nos próximos três meses. O percentual se manteve praticamente inalterado em relação ao recorde histórico alcançado no trimestre anterior da pesquisa (48%), superando a média histórica, que é de 37%. Nesse sentido, o superintendente de expansão da construtora Yticon, Cleber Casado, mostra que o sonho da casa própria no Brasil se tornou mais acessível àqueles que nunca pensaram nisso antes. “As pesquisas do setor demonstram que comprar um imóvel é um dos investimentos mais seguros do momento”, afirma.

Com base em todos os dados, o superintendente aponta que a expectativa de vendas da Yticon no ano de 2021 irá manter o mesmo ritmo ou até mesmo superar os números do ano passado. “Uma situação que alavancou as vendas de imóveis foi o aumento de pessoas trabalhando em home office. Isso valorizou o ‘morar’. E, também, o aumento em mais de 23% no IGP-M (índice de inflação responsável por reajustar os contratos de aluguel) no ano de 2020 levou muita gente a trocar o aluguel pela parcela do financiamento, já que os valores ficaram muito próximos”, ressalta, lembrando que o comparativo se refere a apartamentos que variam entre 140 e 250 mil reais, de 45 a 60 metros quadrados.

 

Oportunidade do primeiro imóvel

Um dos empreendimentos recém-lançados pela Yticon é o Solar Di Ravello, que está em fase de vendas para breve início da construção e na faixa do Programa Casa Verde e Amarela. O empreendimento será construído na região Sul de Londrina, no bairro Gleba Esperança, próximo à Universidade Estadual de Londrina (UEL) e de condomínios horizontais. A área se consolidou por meio de um projeto de bairro planejado contemplando casas e apartamentos. “A Gleba Esperança está em fase de expansão e crescimento vertiginoso, atraindo cada vez mais moradores, rede de serviços e de comércio. Avaliamos que empreendimentos como esse são uma excelente oportunidade para quem busca o primeiro imóvel”, finaliza o diretor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui