Novo equipamento oftalmológico captura 4.300 imagens por segundo e detecta várias doenças da visão em fase inicial

 

Usado para avaliar a resposta biomecânica da Córnea, Corvis diagnostica de forma precoce Ceratocone e outras doenças que afetam a visão

É consenso no mundo da medicina que quanto antes uma doença for diagnosticada, maiores são as chances de cura. No campo da oftalmologia, a história não é diferente. Desde maio desse ano, um aparelho de última geração vem fazendo a diferença na detecção de doenças da visão no Hospital de Olhos do Paraná, em Curitiba. Utilizando tecnologia de ponta, o Corvis é um equipamento que faz a avaliação da resposta biomecânica, tonometria, paquimetria e maleabilidade da córnea a uma velocidade ultrarápida. O equipamento captura até 4.300 imagens por segundo e é capaz de detectar precocemente uma série de doenças que acometem a visão.

Na região Sul do Brasil, o aparelho está disponível somente no Hospital de Olhos do Paraná. Existem também outros equipamentos operando em São Paulo e Rio de Janeiro. O custo do exame é considerado ínfimo tendo em vista o benefício que ele traz ao paciente. “É um aparelho fantástico, o custo benefício é excelente. Ele difere dos outros aparelhos porque até então estudávamos apenas o formato da córnea, seja por topografia ou por tomografia. Com o Corvis, entendemos a força ou resistência do tecido corneano (chamado de biomecânica corneana). Assim podemos diferenciar córneas saudáveis de córneas com Ceratocone ou com maior suscetibilidade a desenvolver Ectasia, pós-cirurgia de miopia. Além disso, ele ainda serve para acompanhamento do pós-operatório de crosslinking corneano”, explica a oftalmologista e diretora do Hospital de Olhos do Paraná, Dra. Luciane Moreira.

O início da operação do Corvis faz parte de um conjunto de melhorias realizadas pelo Hospital de Olhos, que inaugurou uma nova estrutura de atendimento em junho deste ano. “Essa é uma situação que nos orgulha muito, pois mesmo com as dificuldades causadas pela pandemia, fizemos um esforço gigantesco para investir tanto em infraestrutura quanto em tecnologia, como no caso do Corvis. Isso mostra que o HOP está na vanguarda, sempre trazemos estes aparelhos de forma inédita para o nosso estado e para a região sul do Brasil”, orgulha-se Dra. Luciane.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui