Em evento do Sicredi, personalidades compartilham vivências e refletem sobre futuro do ensino

Convidados refletiram a importância da educação como agente de transformação. Créditos: divulgação

Summit Educação incentivou o pensamento sobre a escola do futuro e contou com a participação do rapper e escritor Gabriel, o Pensador, do professor de filosofia Audino Vilão e da presidente do Instituto Sidarta, Ya Jen Chang

Reconhecer os talentos e as mudanças no ensino, ressignificar a aprendizagem e pensar em formas de revolucionar a educação para a escola dos sonhos de professores, alunos e comunidade. Com esse objetivo, a Central Sicredi PR/SP/RJ realizou, no último dia 28 de outubro, mais uma edição do Summit Educação. O evento on-line reuniu professores parceiros do Programa A União Faz a Vida (PUFV) e profissionais que atuam na área.  

Na abertura, o presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock, trouxe uma reflexão sobre os momentos de distanciamento e a reconexão que vivemos a partir do dilema do porco-espinho, uma metáfora criada pelo filósofo Arthur Schopenhauer. “Nesse período de pandemia estamos convivendo tão próximos dos nossos entes queridos que, às vezes, nossos espinhos espetam os outros e também nos ferem. Saber conviver, ter compaixão pelo outro, cultivar o altruísmo nos ajudará a minimizar os medos, as inseguranças e nos dará força e coragem para superar esse momento tão difícil. Que essa parábola nos mostre como dialogar com quem está em casa para que, juntos, realizemos essa travessia”, afirmou o presidente.

O evento apresentou também,  desejos e pensamentos de 11 professores sobre como seria a escola do futuro, tão sonhada pelos educadores. Reconhecendo as mudanças no ensino, no formato das aulas, na motivação dos estudantes e na participação de educadores, pais e comunidade no processo de aprendizagem, a jornalista especialista em educação, Marta Avancini, conduziu um bate-papo com a socióloga, mãe e autora do best seller “A mamãe é rock”, Ana Cardoso e o professor de filosofia e youtuber, Audino Vilão. “A gente não estava preparado para um ensino remoto, a gente sabe de todas as deficiências que cada escola enfrenta e o professor está segurando toda essa ‘responsa’. Então, é importante se reinventar para esse novo momento. Dar atenção às necessidades dos alunos do on-line e também do presencial”, afirmou o professor.

A primeira parte do evento contou também com o depoimento de religiosas e professoras que atuam na Institution Sacré Coeur de Jésus, em Porto Príncipe, no Haiti. A escola que trabalha com o PUFV desde 2019 também teve que se adaptar durante a pandemia, a partir da realidade que vivem, quase sem conexão dos alunos e da comunidade com a internet. “No período de escolas fechadas, as crianças permaneceram em casa e os pais vinham a cada 15 dias pegar o programa para trabalhar com os filhos. Agora, com a reabertura das escolas, continuamos o nosso trabalho reinventando e recriando o conteúdo de aprendizagem”, contou a Irmã Maria Zelinda Cardim.

Para ajudar a ressignificar o ensino, o Summit Educação trouxe a mestre em Educação pela Universidade de Harvard, Ya Jen Chang, que mostrou uma maneira diferente de encarar uma das matérias mais temidas pelos alunos, a matemática. Apresentando um contexto histórico até a Sociedade 4.0, a presidente do Instituto Sidarta destacou a importância do incentivo ao pensamento matemático, ao desmistificar conceitos e apontar que as pessoas podem melhorar habilidades tanto na área de humanas quanto de exatas, a partir de um ensino que apresente um jeito diferente de pensar.

O designer de serviço em educação, Caio Dib, falou sobre a experiência de viajar para diferentes regiões do Brasil e conhecer projetos de aprendizagem de 30 escolas. Com as vivências, o autor do livro “Guia de sobrevivência da educação inovadora” resumiu o que, para ele, significa ressignificar. É ser flexível, mas sem perder o propósito do nosso projeto. O segundo ponto importante é a gente ser aberto para criar a partir do olhar e da realidade do outro, porque não adianta a gente chegar em sala de aula com o nosso olhar e a nossa verdade, e não ouvir o outro. E o mais importante que vejo nesses últimos 10 anos de mapeamento de boas práticas é que ressignificar é ser resiliente sem desumanizar”, analisou.

A realidade de professores que atuam em diferentes escolas e cidades também foi apresentada no evento por meio do quadro interativo “Fala aí, profê”. Com participações ao vivo, educadores que integram o Programa a União Faz a Vida contaram como têm sido os períodos de adaptação no trabalho, nas interações com os alunos e na criação de uma escola do futuro.

Em um momento de celebração, o Summit Educação lembrou a formatura de quase seis mil professores que participaram do programa de capacitação do PUFV, o Abelhuda, realizado em formato digital durante a pandemia. “Os professores são os protagonistas do programa, motivo pelo qual estamos reunidos nesta noite e por manter esse programa que há 25 anos consegue levar um pouco mais de ferramental e conhecimento para dentro das escolas, ajudando a formar educadores cada vez mais conscientes”, comentou o diretor executivo da Central Sicredi PR/SP/RJ, Maroan Tohmé.

O evento ainda trouxe a reflexão sobre a importância de revolucionar e recriar o ensino,  com a educadora Clélia Rosa. A especialista comentou como a maternidade a ajudou a aumentar ainda mais o seu compromisso e engajamento com a educação, principalmente como agente de transformação. “Eu acredito que a formação do docente é a mais importante e precisa ter um cuidado muito especial . A gente não vai conseguir transformar a escola se não passar pela formação de professores”, afirmou a mestre em educação.

O evento terminou com uma surpresa, a participação do rapper e escritor, Gabriel, o Pensador. Com rimas, o artista compartilhou com os participantes o que vem observando a partir de suas vivências. Além disso, o artista falou sobre a importância da arte e da educação para a construção da escola do futuro.

 

Sobre o Sicredi 

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 25 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espirito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Facebook | Instagram | Twitter | LinkedIn | YouTube

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui