PIX completa um ano e 80% das ONGs já utilizam a forma de pagamento para receber doações no Brasil

Nesta terça-feira, dia 16 de novembro, o PIX, sistema de pagamento instantâneo do Banco Central (BC), completou um ano de funcionamento no país e anunciou um conjunto de novas medidas de segurança. Considerado o principal meio de pagamento, com cerca de 350 milhões de chaves cadastradas, incluindo pessoas físicas e jurídicas, o PIX também é uma alternativa para as organizações da sociedade civil (OSCs) receberem doações.

Segundo um estudo realizado no mês de julho pela ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos) o PIX já é utilizado por 80% das ONGs consultadas e outras 15% sinalizavam que pretendiam aderir em breve. 

O estudo também mostrou que a maioria das organizações acredita que o PIX facilita o recebimento de doações, devido à possibilidade da diversidade de chaves que uma organização pode ter para receber doações, entre elas o próprio CNPJ, utilizado por 80% das organizações. Na sequência, vem o e-mail das instituições sendo utilizado como chave (30%), número de telefone (12%) e chaves aleatórias (9%). A somatória é de mais de 100%, pois é permitida que cada ONG tenha até cinco chaves PIX cadastradas.

Além disso, a pesquisa mostrou que pelo menos 50% das ONGs que fazem uso da nova modalidade de transferência de recursos financeiros afirmaram que as doações aumentaram depois do PIX. “A adesão das ONGs ao PIX foi maior que a das próprias empresas, o que reforça o quanto a ferramenta se mostrou fundamental em proporcionar mais acesso e inclusão das pessoas que querem gerar impacto por meio da doação”, afirma João Paulo Vergueiro, diretor executivo da ABCR. 

Sobre a ABCR

A ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos) (https://captadores.org.br) reúne e representa os profissionais de captação, mobilização de recursos e desenvolvimento institucional, que atuam para as organizações da sociedade civil no Brasil. Lidera campanhas, eventos e uma série de outras iniciativas de fortalecimento do setor e de apoio a quem atua por uma sociedade mais justa e democrática.

Os dados do Monitor das Doações Covid-19 (www.monitordasdoacoes.org.br/pt), criado pela ABCR para acompanhar o movimento de solidariedade que surgiu com a pandemia do novo Coronavírus em 2020, alcançou os 7 bilhões de reais, um recorde absoluto na história recente de doações para emergências no país.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui