Tecnologia e inovação contribuem para o pós-operatório das cirurgias plásticas

Cola cirúrgica, taping e roupas especializadas colaboram para uma melhor cicatrização, conforto do paciente e resultados mais rápidos

Cola cirúrgica, taping e roupas especializadas

Quando se decide realizar uma cirurgia plástica, além dos cuidados pré-operatórios, é preciso ficar atento nos processos e materiais utilizados tanto durante a operação, quanto na recuperação. A tecnologia nessa área corre a passos largos e hoje a medicina conta com facilitadores para diminuir o tempo de cirurgia, dar mais segurança e conforto para as pacientes e resultados mais rápidos.

Segundo o médico cirurgião plástico, Bruno Legnani, seguir as orientações médicas depois de realizar o procedimento é essencial para que o resultado seja o esperado, e o mais natural possível. “Os cortes precisam de alguns dias para cicatrizarem e o repouso é essencial. É necessário evitar esforços e exercícios físicos nesse período, e evitar a exposição solar por uns 45 dias, para evitar que as cicatrizes fiquem mais aparentes”, afirma.

Os materiais utilizados são fundamentais para a recuperação e a cola cirúrgica é um deles. “A cola cirúrgica se cristaliza em menos de 60 segundos após a aplicação, criando uma barreira contra microrganismos. Ela também reduz o tempo de cirurgia, diminuindo o período necessário de sedação do paciente”, explica Legnani. Apesar de elevar o custo do procedimento em até R$300 reais, a cola cirurgia é sete vezes mais forte que as suturas comuns, o que garante maior segurança e diminui o risco dos pontos de abrirem nos primeiros dias após a cirurgia”, completa.

Outra tecnologia que está sendo muito utilizada nos procedimentos é o taping, uma bandagem elástica que preserva a mobilidade do corpo e reduz eventuais complicações no pós-operatório. “Ela é colocada imediatamente após o término do procedimento cirúrgico, principalmente nas lipoaspirações e abdominoplastias, e auxilia a controlar e diminuir o inchaço, além de evitar os roxos na pele”, afirma o médico. A utilização do taping também diminui o número de sessões de fisioterapia pós-operatória, além de contribuir para evitar a fibrose”, completa.

O médico alerta que tanto a colocação quanto a retirada do taping deve ser realizado por um profissional especializado, para garantir a segurança na recuperação que a tecnologia promete. “Qualquer cirurgia plástica deve ser realizada por um profissional especializado, cadastrado no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e os cuidados, tanto pré quanto pós-operatórios, seguidos à risca para um resultado mais satisfatório”, completa.

Legnani lembra que a utilização de sutiãs e macaquinhos pós cirúrgicos são essenciais para os cuidados pós-operatórios. “Escolha modelos com tecido que facilitem a transpiração da pele, e principalmente, que tragam conforto para esse período”, finaliza.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui