Empregos temporários ganham força e dão esperança de efetivação aos trabalhadores

Diretora de serviços de RH da Employer, Vânia Montenegro, explica formas para que os temporários conquistem oportunidades em definitivo nas empresas
Os empregos temporários cresceram em 2021. Segundo a Employer, uma das maiores empresas de RH do país, o aumento de contratações foi de 31,5%, superando o resultado obtido em anos anteriores. Nesse sentido, no último ano foram registradas 1.768.889 admissões no país, diante de 1.344.680 no mesmo período em 2020.

A performance se deve à insegurança das empresas durante o período pandêmico e às mudanças de hábitos dos consumidores. A instabilidade econômica causada pela pandemia fez com que as empresas reduzissem o quadro de empregados efetivos. Como uma alternativa segura em períodos específicos, a demanda por temporários aumentou pela forma rápida e segura de contratação.

“Desde o início da pandemia, o trabalho temporário vem ganhando corpo, não só no Brasil como em todo o mundo. A insegurança das empresas fez o trabalho temporário se destacar como a melhor opção”, explica a diretora de serviços da Employer.

Em outubro do ano passado, o Brasil contava com um índice de desemprego de 12,1%, o que representa 12,9 milhões de pessoas, segundo o IBGE. Nesse contexto, um dos motivos que fazem essas vagas serem tão atrativas para os trabalhadores são as chances de retornarem ao mercado de trabalho, mesmo que temporariamente, e ainda com potencial oportunidade de efetivação.

De acordo com Montenegro, os trabalhadores devem se dedicar na qualidade do cumprimento de suas atividades e se manterem atentos a como os colegas efetivos realizam suas tarefas. O compromisso com a empresa é fundamental, demonstrar interesse em se desenvolver em conjunto com a empresa amplia as chances de um definitivo. Além disso, evitar faltas e ser assertivo nos horários das jornadas fazem diferença para melhorar o perfil do candidato.

“O contratado temporário tem o trabalhador efetivo como uma referência, pois ele domina o que precisa ser feito. Na medida em que ele se esforça para entregar as tarefas com a mesma qualidade, ele chama a atenção dos supervisores. São esses profissionais que entram em contato com RH para informar sobre as competências, abrindo a chance de efetivação”, relata Montenegro.

Direitos do trabalhador temporário

Na modalidade temporária, o trabalhador tem anotação em carteira e os direitos assegurados pela Lei 6.019/1974. Dentre os direitos, estão inclusos pagamento de horas extras, descanso semanal remunerado, 13º salário e férias proporcionais ao período trabalhado. Ele recebe 8% dos seus proventos a título de FGTS e o período como temporário conta como contribuição para a aposentadoria.

De acordo com a legislação, o trabalhador temporário pode ser contratado por até 180 dias, com possibilidade de prorrogação por até mais 90 dias. A efetivação pode acontecer a qualquer momento desse período. “Junto à Previdência, o trabalhador temporário também tem todos os direitos garantidos, como auxílio-doença, desde que se respeite a carência mínima exigida para o pagamento dos benefícios”, diz Vânia.

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui