Crianças míopes tem 20% mais chances de sofrer com depressão e 15% com ansiedade, revela estudo

Publicado na revista científica Ophthalmology em 31/05, estudo sugere que crianças com miopia tendem a participar de menos atividades físicas, têm menor desempenho acadêmico e são mais isoladas socialmente

Crédito: Adobe Stock

Um estudo publicado no último dia 31 de maio na revista científica Ophtalmology revelou que crianças com miopia apresentaram índices de depressão 20% superiores comparado a crianças sem esse problema de visão. Foram analisados quase 700 mil participantes com média de idade de 15 anos. O estudo foi conduzido por 16 pesquisadores de universidades dos Estados Unidos, China, Irlanda e outros países. Além da depressão, concluiu-se também que crianças míopes apresentaram índices de ansiedade 15% maiores em relação a crianças sem o problema visual.

Os pesquisadores argumentam que saúde mental de crianças com miopia ou outras formas de deficiência visual pode ser prejudicada porque elas tendem a participar de menos atividades físicas, têm menor desempenho acadêmico e são mais isoladas socialmente. Da mesma forma, condições comuns de visão, como o estrabismo, podem afetar negativamente o desenvolvimento e o amadurecimento das crianças, pois afetam não apenas a aparência das crianças (o que pode afetar sua confiança e sentimentos de pertencimento social), mas também sua capacidade de realizar determinadas atividades.

Para a oftalmopediatra do Hospital de Olhos do Paraná, Dayane Issaho, o estudo é bastante interessante e possui muita validade. “Sabemos que pessoas míopes tendem a gostar menos de esportes e preferir atividades de leitura, por exemplo. Esse estudo valida essa informação na população pediátrica. O fato de crianças míopes participarem menos de atividades físicas e serem mais isoladas socialmente reflete na saúde psicológica delas: mais ansiedade e mais depressão”, comenta a oftalmologista especializada no atendimento a crianças e jovens.

Um dos coautores do estudo, Nathan Congdon, da Queen’s University Belfast (Irlanda do Norte), disse esperar que este novo estudo “possa ajudar a estimular os governos a agir” para lidar com as graves consequências para a saúde mental do estrabismo e da miopia em crianças. Os resultados são ainda mais convincentes, acrescenta, porque a evidência mais forte de que o estudo encontrou em termos de problemas de visão com impacto negativo na saúde mental foi entre crianças com miopia, que é facilmente tratável com um simples par de óculos.

“Esse problema pode ser solucionado melhorando a consciência de prevenção e consultas de rotina, além de tornar os tratamentos oftalmológicos de mais fácil acesso à população. É muito importante que as consultas oftalmológicas de rotina comecem desde cedo nas crianças. O primeiro check up já deve ser realizado no primeiro ano de vida. Criança que enxerga bem tem mais chance de um melhor desempenho escolar e de se relacionar melhor com os coleguinhas. Estimular a prática de atividades esportivas em ambientes externos e controlar o tempo de uso de eletrônicos ajudam muito nesse sentido”, complementa Dra. Dayane Issaho.

 

Link do estudo: https://www.psychnewsdaily.com/myopia-in-children-linked-to-depression/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui