Curitiba Cia de Dança apresenta pré-estreia de “Mirolando”, de Miriam Druwe, espetáculo de dança para crianças

Inspirada na obra de Miró, primeira versão da coreografia, que retrata o surrealismo e traz criação coletiva com atenção a cada ponto, traço, cor e movimento

 

Dança contemporânea é sim para crianças! A prova viva está em “Mirolando”, espetáculo voltado para elas, inspirado nas obras do artista espanhol Juan Miró. A “arte” é da Curitiba Cia de Dança, em parceria com a coreógrafa Miriam Druwe, de São Paulo. Miriam, que é diretora da Cia Druw há 25 anos, já possui outros espetáculos infanto-juvenis inspirados em pintores em seu repertório, como Kandinsky, Tarsila do Amaral, Van Gogh, Portinari, Di Cavalcanti e outros – todos com sucesso. Após o convite para criar com a Curitiba Cia de Dança, veio Miró.

“Mirolando” vem sendo elaborado desde julho deste ano e promove um diálogo da dança contemporânea com as artes visuais – tanto na inspiração das obras de Miró como na cenografia, com imagens projetadas em vídeos e criadas por Thiago Capella que bebem na fonte da proposta de Miró, com os traçados e as cores do artista espanhol, abusando das animações.

Mirolando: bailarinos tornam-se elementos da tela de Miró. Foto: Lucilia Guimarães

Dirigidos por Miriam, os bailarinos participaram diretamente do processo de criação da coreografia, escolhendo obras e personagens que mais se identificam no universo do artista em questão e, a partir de fios dramatúrgicos trabalham em “células” coreográficas. A partir daí foi o movimento do bailarino que deu corpo aos personagens, conferindo vida às obras de Miró. “Os bailarinos foram se soltando, colocando muito deles e se impregnaram nos corpos dançantes. Era preciso que os bailarinos entrassem em Miró junto comigo e, por isso, foram levados a criar”, explica Miriam.

Dança contemporânea explora arte em linguagem infantojuvenil. Foto: Lucilia Guimarães

Além da cenografia, a linguagem do clown também foi trabalhada no elenco, aprimorando o estado cênico da comunicação com o público, sendo uma obra, um ponto, um contorno preto, uma cor de Miró. “Os bailarinos da Curitiba Cia. De Dança foram muito bons, muito criativos… se entregaram bastante. Gosto de falar sobre concepção e criação e a coreografia é extraída da sensação e dos sentimentos e impulsos que os bailarinos têm ao encontrar aquele contexto. Isso é muito rico”, diz Druwe, que foi a responsável pelo fio condutor de “Mirolando”.

 

E neste passeio lúdico e poético no universo de Miró, ainda vale ressaltar a trilha sonora, que foi especialmente composta para a coreografia, e os estudos de figurino, que são resultado de um grande laboratório de experimentos. “Fechar tudo isso é tal qual pintar uma tela. Não é fácil, é bem desafiador, não é rápido. Quando você adentra ao universo de um pintor é um solo sagrado, por isso precisamos nos conectar com a obra, ouvir os percursos”, finaliza Miriam.

 

Esta apresentação tem um caráter de pré-estreia do espetáculo, que ainda está em finalização. A sessão vai auxiliar a equipe técnica a afinar os elementos cênicos e artísticos para a apresentação em si, prevista para 2024.

 

Serviço:

[dança contemporânea para público infantil] Curitiba Cia de Dança apresenta pré-estreia de “Mirolando”

Data: 25 de outubro de 2023, quarta-feira

Horário: 20h

Local: Teatro do SESC da Esquina – Rua Visconde do Rio Branco, 969 Centro – Curitiba – PR

Informações: (41) 3259 1350

Ingressos a R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia e trabalhadores do comércio), à venda com Danielle (11) 95697 0467 a serem retirados na sede da Curitiba Cia de Dança – Rua Padre Agostinho, 400 Centro.

Duração: 55 minutos

 

FICHA TÉCNICA:

Direção Geral – Nicole Vanoni

Concepção, direção Artística e criação – Miriam Druwe

Assistente de direção – Hamilton Félix

Trilha sonora – Divan Gattamorta

Voz em off- Orlando Dantas

Vídeo Cenografia – Thiago Capella

Criação de Luz – Fabia Regina

Operação de Luz- Fabia Regina

Estudos para Figurinos e elementos de cena – Marco Pozzetti e Orlando Dantas

Confecção e pinturas – Marco Pozzetti

Ensaiadores- André Oliveira, Cláudio Fontan e Nathalia Tedeschi

Professores – Andre Oliveira, Cíntia Napoli e Nathalia Tedeschi

Fisioterapeutas- Marcela Pinho e Taline Algauer

Realização – Curitiba Cia de dança/ Amigos e apoiadores da dança de Curitiba/ Paraná Cultura

Apoio cultural: SESC da Esquina

Assessoria de imprensa – Flamma Comunicação Organizacional

Produção – Vida Santos

Assessoria Jurídica – Camila Guimarães

Assistente de produção- Dani Pateti

Fotografia – Lucília Guimarães

Vídeo – Elson Silva

ELENCO – Davi Lopes, Hamilton Félix, IraDorsey, Julia Mello, Rodrigo Soares, Rubens Vital, Thaís Lima, Rayanne Guimarães, Murilo Machado

CIA JOVEM – Danielle Pateti, Filipe Bueno, Yan Ferreira, Luana Hertt, Kauan Ferreira

 

A Curitiba Cia de Dança

A Curitiba Cia de Dança foi criada em 2013 por Nicole Vanoni baseada na ideia de experimentação, pesquisa e criação em dança contemporânea, além da busca pela diversidade de experiências com coreógrafos diferentes. A primeira obra coreografia da Cia, “A Lenda das Cataratas”, com concepção geral de Nicole Vanoni e coreografia de Rafael Zago, surgiu em 2014 e participou de festivais no Brasil e no exterior.

A segunda coreografia, denominada “Quando se Calam os Anjos” tem coreografia de Airton Rodrigues e transporta para o palco questões cênicas e dramatúrgicas que realçam um universo pós-moderno virtual onde vários encontros são marcados pelo descaso do outro ou até mesmo pela falência do ser humano. Realizando mais de 100 apresentações pelo país, “Quando se Calam os Anjos” é o espetáculo de maior êxito da Curitiba Cia de Dança, sendo agraciado por público e crítica.

Finalizando o ano, a Curitiba Cia de Dança junto a AADC (Amigos e Apoiadores da Dança de Curitiba) estreiam o espetáculo “Relações”, do coreógrafo Carlos Laerte. Como o próprio nome diz, o espetáculo percorre pelas relações contemporâneas, sejam elas fraternas, amorosas ou destrutivas. No primeiro semestre de 2019, a Companhia circulou por 12 cidades do Paraná com o espetáculo “Lenda das Cataratas”, além de integrar a grade da programação do SESI Viagem Teatral 2019 SP e de participar como Companhia convidada no Festival de Dança de Londrina e na Bienal de Dança do Ceará.

Em 2019  a Cia lança uma parceria com o Natal Luz dos Pinhais da cidade de Curitiba com o patrocínio do Banco do Brasil onde apresenta o clássico “O Quebra Nozes” nas Ruínas de São Francisco, que virou uma tradição da Curitiba Cia de Dança, 2020 além da pandemia a Cia não deixou de se apresentar, lançou em sistema Drive-in, sendo a única cia da América Latina em dançar o Clássico “O Quebra Nozes” para carros, 6 sessões lotadas na Pedreira Paulo Leminski, 2021 ainda na pandemia, a Cia volta as Ruínas de São Francisco, e circula em municípios paranaenses com a obra “O Quebra Nozes”. O ano de 2022 começou propício ao sucesso, com uma nova releitura do projeto Cirandas de 2018, agora com coreografias de Rosa Antuña, o balé passa a se chamar “Dançando Villa“.

Em 2023 a Curitiba Cia de Dança apresenta “Dom Quixote”, dentro da programação dos 330 anos de Curitiba. Em junho de 2023 a Cia fez uma circulação do espetáculo “Memória de Brinquedo” pelas cidades de Rondonópolis, Cuiabá, Terenos, Campo Grande e Goiá, em projeto viabilizado pela lei de incentivo à cultura, com realização da Curitiba Cia de Dança e – Amigos e Apoiadores da Dança de Curitiba (AADC). “Memória de Brinquedo” e “Quebra Nozes” foram apresentados no nordeste brasileiro, em João Pessoa (PB) e Guaranhuns (PE) em setembro. E em outubro, a Curitiba Cia de Dança levou a Suíte de “Dom Quixote” e “Memória de Brinquedo” para o interior do Paraná, nas cidades de Cascavel, Umuarama, Campo Mourão e Londrina, sendo atração especial do Festival de Dança de Cascavel e de Londrina, este último com apresentação de “Relações”. Ainda em outubro, a Curitiba Cia de Dança organizou a Semana da Criança, com dois finais de semana dedicados ao lúdico. Foram apresentados os espetáculos “Memória de Brinquedo”, de seu repertório, e “Girassóis”, espetáculo convidado da Cia Druw, de São Paulo, dirigida por Miriam Druwe, que assinou a coreografia do repertório da Curitiba Cia de Dança “Mirolando”, voltada para o público infanto-juvenil inspirado na obra do pintor espanhol Juan Miró. A pré-estreia de “Mirolando” fecha a agenda de espetáculos da Curitiba Cia de Dança de outubro.

 

 

Miriam Drew

Graduada em Artes Visuais pela Faculdade Paulista de Artes, diretora, intérprete criadora com formação clássica e moderna. Participou das principais companhias profissionais de dança de SP como: Balé da Cidade de SP, Cisne Negro Cia de Dança, Republica. Diretora e coreógrafa da Cia Druw. Premiada pela APCA 1993 – melhor bailarina. Indicação pela APCA 2019 – intérprete. Diretora artística e coreógrafa o Corpo Estável de Dança do Teatro Municipal Polytheama de Jundiaí – de 2011 a 2014 com a criação dos espetáculos “Ressonâncias” junto à Orquestra Sinfônica de Jundiaí e “Sobre os trilhos”. Desde 1996 vem desenvolvendo uma linguagem própria estruturada em aulas de dança contemporânea, criação e composição para companhias profissionais como: Balé da Cidade de São Paulo, Cisne Negro, Cia Cênica Nau de Ícaros, Escola Livre de Dança de Santo André, Cefac (Centro de Formação em Artes Circences), Centro Cultural SP, Sescs, Galpão do Circo, Unidades do Sesc, Sesi, Fábrica de Cultura-Núcleo Luz e Festivais de Dança no Brasil, como também oficinas para crianças e educadores. Prêmio Estímulo à Dança Secretaria da Cultura/ 2003, Prêmio Estímulo Braços e Pernas pela Cidade – Centro Cultural SP, 3º Edital de Fomento à Dança/2007 com o projeto “Lúdico”, PAC 2008 – Corpoético, 6º Edital de Fomento à Dança com o projeto “Vila Tarsila” /2009, Edital Caixa Econômica Federal/2009/1010– Espetáculo Lúdico, Proac ICM ( Gerdau) Lúdico e Vila Tarsila  – 9º Edital de Fomento à Dança (SP) com o Projeto Girassóis e o Edital CORREIOS/2010 com o Projeto ‘Mostra de Repertório – Cia. Druw LÚDICO e VILA TARSILA’. Proac ICM espetáculo Girassóis 2012(Duratex). Rouanet projeto Mostra de Repertórios 2012 (Volvo). Circulação Nacional do espetáculo Vila Tarsila pelo Projeto Palco Giratório – Sesc 2012. 14º Fomento à Dança 2013 – manutenção e pesquisa Sinestesia da Cor no Movimento. Edital Caixa Econômica – circulação 2014. Com Posição – Pinacoteca do Estado -17º Prêmio Fomento à Dança 2014– Poetas da Cor –Viagem Teatral do Sesi – Lúdico (2016) Poetas da Cor (2017) – 23º Prêmio Fomento à Dança 2018 – Dalí, daqui ou de lá? – 27] Prêmio Fomento à Dança 2019 – Por ti Portinari; APCA 2019 ‘Lúdico” – indicação espetáculos não inéditos. APCA 2022 ” Di” SPCD, indicação coreografia e espetáculo inédito.