Incorporadora curitibana adere ao Pacto Global da ONU

Empresa é a primeira incorporadora curitibana na categoria de mercado imobiliário a se comprometer em implementar os Dez Princípios do Pacto Global da Organização Mundial das Nações Unidas em direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção

ALTMA Incorporadora foi selecionada pela ONU, a Organização Mundial das Nações Unidas, para aderir ao Pacto Global da organização e seus compromissos em prol das áreas dos Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e combate à corrupção. A empresa foi selecionada na categoria Real Estate, de Mercado Imobiliário, para tornar o Pacto Global da ONU, e seus Dez Princípios, parte das estratégias de negócios, da cultura e das operações cotidianas da empresa.

Queremos, cada vez mais, nos envolver em projetos cooperativos que promovam os objetivos mais amplos de desenvolvimento das Nações Unidas, em particular, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Acreditamos que esse movimento pode inspirar outras incorporadoras curitibanas e brasileiras a fazerem o mesmo”, diz Gabriel Falavina, diretor de Desenvolvimento Imobiliário da ALTMA.

De acordo com o engenheiro civil e sócio da incorporadora, ao adotar esses princípios, a ALTMA reafirma o compromisso de buscar não somente o sucesso empresarial, mas também gerar impactos positivos para a sociedade e o meio ambiente. “Será um trabalho de anos para integrarmos esses valores às estratégias de nossos negócios, e participar, cada vez mais, de projetos que apoiem o desenvolvimento sustentável. Mas estamos animados, porque essa preocupação já está no DNA da empresa, e vem sendo considerada em nossos processos”, completa.

As empresas selecionadas pelo Pacto Global precisam demonstrar compromissos com algumas tarefas, incluindo apoiar e respeitar a proteção e a garantia dos Direitos Humanos, não participar de violações desses direitos, garantir a eliminação de todo trabalho forçado ou compulsório, assegurar a liberdade de associação ou negociação coletiva, garantir a abolição do trabalho infantil e de qualquer forma de discriminação no emprego, além de apoiar abordagens preventivas para os desafios ambientais, desenvolver iniciativas de promoção da responsabilidade ambiental, estimular a difusão de tecnologias ambientalmente amigáveis e combater a corrupção em todas as suas formas, inclusive, práticas de extorsão ou propina.

O Pacto Global da ONU é um chamado, criado em 2015 e proposto aos seus países membros, entre eles, o Brasil, para estimular a promoção de uma agenda de desenvolvimento sustentável no mundo nos próximos 15 anos, a Agenda 2030, composta pelos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a partir da adesão de empresas e pessoas de estratégias para atingir 10 princípios universais nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e anticorrupção.

Considerada a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, o Pacto Global da ONU reúne mais de 21 mil empresas de 164 países. No Brasil, é a terceira maior rede local do planeta, com mais de 1.900 participantes e reúne o setor empresarial para atuar com impacto mensurável nos ODS, tanto na evolução dos modelos de negócios como na implementação de projetos de parceria.