quarta-feira, 17 julho 2024
17.4 C
Curitiba

Inteligência comercial: como planejar o crescimento da empresa para 2024

Avaliar o comportamento da concorrência é fundamental para se destacar em um cenário econômico desafiador

Dados do relatório “Focus”, divulgado essa semana pelo Banco Central, mostram que o mercado espera uma alta de 3,91% nos preços ofertados ao consumidor brasileiro em 2024, demonstrando que o ano que vem ainda encara um cenário econômico desafiador. Nesse panorama, muitas empresas se perguntam sobre a viabilidade do crescimento, porém, é importante lembrar que, mesmo em tempos difíceis, onde há necessidade, há oportunidade, principalmente para empresas que souberem fazer um planejamento sólido e adaptativo às possíveis adversidades do futuro.

Para o especialista em marketing e estratégia de negócios, Frederico Burlamaqui, um ponto importante para que as empresas se destaquem em 2024 é incluir no planejamento ações de avaliação da concorrência, uma vez que a competição fica mais acirrada em momentos de instabilidade econômica. “O planejamento estratégico para o crescimento empresarial não é apenas uma necessidade, mas um diferencial competitivo. Mesmo em setores saturados, é possível conquistar uma fatia valiosa da concorrência adotando abordagens inteligentes e inovadoras”, conta.

Pegando a fatia do bolo da concorrência

Frederico explica que o primeiro passo é fazer uma análise minuciosa do cenário competitivo, compreendendo as estratégias e pontos fracos dos concorrentes. “Por definição, a análise de concorrência, também denominada análise de mercado, consiste no estudo das ofertas apresentadas ao público pelas empresas concorrentes, em analisar como conduzem suas operações comerciais e como essas abordagens são percebidas por clientes e potenciais consumidores. Essa prática desempenha um papel importante nas fases de planejamento e gestão de vendas, pois proporciona aprimoramento nas tomadas de decisões com base em boas práticas e identifica riscos e oportunidades capazes de impactar positiva ou negativamente as vendas. Geralmente, as atividades relacionadas à análise de concorrência são integradas a um conjunto mais amplo de práticas conhecido como inteligência comercial”, conta.

Identificar lacunas não exploradas ou áreas onde a concorrência está aquém das expectativas dos clientes pode abrir portas para o crescimento. Nesse ponto é importante ter uma estratégia forte, impulsionada por um planejamento assertivo que terá como base as falhas da concorrência e as oportunidades de crescimento que podem emergir delas. A avaliação da concorrência vai além de simplesmente conhecer as práticas dos adversários, oferecendo insights sobre tendências emergentes, comportamento do consumidor e mudanças no mercado. “Incorporar essa análise ao planejamento empresarial permite que a empresa adapte suas estratégias de acordo com as expectativas dos clientes e se antecipe às transformações no ambiente competitivo. Esse pilar estratégico não apenas serve para reagir ao que já está em vigor, mas também impulsiona a inovação, uma vez que ao compreender as práticas dos concorrentes, a empresa é incentivada a buscar soluções únicas e diferenciadas, conferindo-lhe uma vantagem competitiva duradoura”, explica Frederico.

Planejamento para o crescimento

Em complemento à inteligência comercial, outros elementos devem ser considerados no planejamento como a presença digital da sua empresa, marketing e experiência do cliente, para que assim a empresa crie uma abordagem integral para o seu crescimento. “Olhar todos os ângulos onde é possível crescer,  não apenas ajuda a empresa a se destacar em um mercado saturado, mas também a identificar oportunidades estratégicas para alcançar seus objetivos em 2024. Sendo assim, realizar um planejamento estratégico é fundamental para o êxito na administração de uma empresa, envolvendo uma avaliação abrangente da organização, um planejamento orçamentário, operacional, de vendas, de custos, de pessoal, de produção, previsão de despesas, de investimentos e diretrizes estratégicas”, conta Frederico.

Além disso, organizar as finanças é essencial. Isso inclui não apenas manter uma contabilidade sólida, mas também avaliar a eficiência dos custos e investir onde há maior retorno. “Treinar a equipe para que esteja alinhada com os objetivos de crescimento é também importante, uma vez que uma equipe bem treinada e motivada é um ativo valioso para o crescimento sustentável da empresa”, conta Frederico.

Avaliar constantemente o produto ou serviço oferecido também é parte importante do planejamento, uma vez que as necessidades do mercado evoluem e a empresa precisa se adaptar a ela. “Encontrar o público-alvo certo e construir uma presença sólida na mídia são passos que não podem ser negligenciados. Uma vez que o público-alvo esteja construído, investir na experiência do cliente também deve ser prioritário, assim como investir em melhorias contínuas e em ofertas que vão além das expectativas dos clientes. Essas ações têm o poder de fortalecer os laços da empresa com o público, de criar lealdade e atrair clientes da concorrência”, explica o especialista.

Por fim, traçar metas e objetivos mensuráveis e atingíveis, também é uma estratégia importante para potencializar os negócios, uma vez que esses passos oferecem uma visão abrangente de erros e acertos. “A avaliação mensal das metas estabelecidas é vital para garantir que a empresa esteja no caminho certo e pronta para ajustar estratégias conforme necessário. Em 2024, planejar o crescimento não é apenas uma possibilidade, mas uma necessidade para empresas que buscam não apenas sobreviver, mas prosperar em meio aos desafios”.

Destaque da Semana

Lord Magazin é referência de resiliência no comércio

16 de julho comemora-se o Dia do Comerciante Em 16...

ADVB/PR realiza rodada de networking com o MEX – Espaço para Mulheres Executivas

  O Business Connect é aberto ao público e gratuito,...

Vino! Cabral tem novidades no espaço e no cardápio

O inverno é celebrado com novidades no Vino! Cabral....

Artigos Relacionados

Destaque do Editor

Popular Categories

Mais artigos do autor