Desafios ESG em 2024: acelerando a responsabilidade ambiental

ESG responsabilidade ambiental frotacontrol

À medida que entramos em 2024, os setores de logística e transportes se preparam para um ano de crescimento. Afinal, com o consumo em alta, as oportunidades de negócios também tendem a subir. A agência de classificação de riscos Fitch Ratings prevê um forte incremento nas necessidades de controle e gestão de frota, uma realidade já presente nas empresas que passam a incorporar, também, inteligência artificial, veículos autônomos e outras tecnologias para otimizar os transportes e cortar custos.

O otimismo é bem-vindo no aspecto econômico, porém ele não é o único que guia as ações de uma empresa. Cada vez mais, a gestão precisa levar em conta o legado que deixa nos quesitos éticos e socioambientais de suas ações. É uma oportunidade de fazer da plataforma de cada empresa a sua marca e sua herança para futuras gerações. De desafio, a sustentabilidade se estabelece como tendência.

Com a importância crescente dos princípios ambientais, sociais e de governança (ESG) na logística e no transporte – setores fundamentais para a movimentação de mercadorias e o funcionamento eficiente da economia -, estas indústrias se veem sob pressão para reavaliar e transformar suas práticas operacionais. A demanda é de atender às expectativas cada vez mais altas em relação à responsabilidade corporativa.

Quem já investe em gestão de frota sai na frente.

Uma gestão eficaz da frota e a adoção de práticas de ESG podem trazer benefícios para a empresa em toda a cadeia produtiva. Ao cuidar do meio ambiente e das suas consequências para a vida humana, a empresa se torna mais atrativa para investidores e clientes que valorizam o ESG. Além disso, não é tão complicado assim seguir esses princípios.

Seguir as recomendações dos fabricantes para a manutenção dos veículos e usar combustíveis de qualidade, além de garantir a segurança da carga e dos passageiros, ajuda a diminuir a emissão de gases poluentes e a melhorar a qualidade de vida.

Selecionar fornecedores que compartilham dos seus valores, usar a água de forma consciente e racional para lavar os veículos e os pátios pode gerar reconhecimento e bom exemplo entre os seus funcionários.

Embora os desafios pareçam grandes, é possível unir os setores, as organizações e a sociedade em busca de um objetivo comum: deixar o planeta de pé para as próximas gerações. Com atitudes tomadas em ações cotidianas, práticas antiquadas dão lugar àquelas mais conectadas às demandas socioambientais. Saiba como:

1. Redução da pegada de carbono

Um dos desafios primordiais é a redução da pegada de carbono. Em um mundo onde as mudanças climáticas são uma realidade inegável, as empresas de logística e transporte enfrentam a necessidade de minimizar seu impacto ambiental. A transição para fontes de energia renovável e a incorporação de veículos elétricos em suas frotas emergem como estratégias. A busca por eficiência energética e tecnologias mais limpas é uma prioridade para lidar com essa questão.

O relatório de Sustentabilidade e Impacto da Geotab delineou uma jornada de descarbonização cujo destino é um só: um transporte mais limpo, eficiente e econômico. O primeiro passo é a avaliação do impacto real da frota no meio ambiente, desde o número de veículos até possíveis desperdícios de combustível. Em seguida, medidas tão simples como a escolha da rota mais eficaz até as mais complexas, como o uso de veículos elétricos, começam a mudança. O terceiro momento é de manutenção e expansão das medidas que deram certo, impactando toda a cadeia de negócios. Por fim, o relatório aponta que o clímax dessa jornada rumo à descarbonização é uma empresa que desponta como líder em práticas ESG, um diferencial cada vez mais valioso.

Ainda bem que não é preciso tatear no escuro em busca de soluções. Práticas aprovadas globalmente já são padrão em variadas indústrias, muitas delas guiadas pela Coalizão Net Zero. Essa iniciativa global, lançada em setembro de 2019, durante a Cúpula do Clima da ONU, reúne governos, empresas e organizações comprometidas em alcançar emissões líquidas zero até 2050. O objetivo central da coalizão é impulsionar a transição para uma economia de baixo carbono e acelerar as ações sustentáveis. 

Atualmente, ela conta com a participação de mais de 130 países e diversas empresas líderes, representando setores-chave da economia. Ao aderirem à Coalizão Net Zero, os membros comprometem-se a elaborar e implementar planos concretos para atingir a neutralidade de carbono até a metade do século, contribuindo assim para os esforços globais de combate às mudanças climáticas. Essa iniciativa reflete a crescente urgência e a necessidade de cooperação para enfrentar os desafios ambientais e promover práticas sustentáveis em diversas esferas da sociedade.

2. Responsabilidade Social Corporativa (RSC):

A dimensão social do ESG coloca as empresas diante do desafio de aprimorar suas práticas de Responsabilidade Social Corporativa. Garantir condições de trabalho éticas e seguras, promover a diversidade e a inclusão dentro das organizações e contribuir para o bem-estar das comunidades locais tornam-se não apenas aspirações, mas exigências fundamentais. A sociedade está cada vez mais atenta às ações das empresas, buscando aquelas que demonstram um compromisso real com a RSC.

O aspecto social de uma empresa não se dissocia de suas outras missões e valores, já que todo CNPJ é formado de múltiplos CPFs. A vida de pessoas é impactada, positiva ou negativamente, pela presença de companhias e indústrias em suas comunidades, o que torna as práticas RSC não apenas recomendáveis, como indispensáveis. Os benefícios de seguir esse caminho ético são múltiplos: melhor reputação, credibilidade e satisfação dos clientes, bem como funcionários mais engajados e identificados com os propósitos da organização. Tudo isso pode levar a mais investidores, completando um pacote de vantagens difícil de recusar.

O frotacontrol reconhece essa responsabilidade, tanto nas suas operações cotidianas enquanto empresa, quanto na importância de prestar um serviço que impacta a realidade de outras empresas – formando um ciclo onde a tecnologia e a informação com foco nas pessoas cria impacto verdadeiro.

“O frotacontrol é um serviço online que oferece soluções integradas para o gerenciamento de frotas de veículos. Ele opera em plataformas sustentáveis e utiliza ferramentas de comunicação interna para otimizar o desempenho e a produtividade dos colaboradores e dos recursos envolvidos na operação de transportes. Ele também fornece painéis e indicadores de resultados que auxiliam os gestores a fazerem escolhas estratégicas e operacionais baseadas na relação custo-benefício e na eliminação de desperdícios”, exemplifica João Baptista, CEO do frotacontrol.

3. Governança transparente

No âmbito da gestão de negócios, a transparência é crucial. As empresas do setor de logística e transporte devem assegurar que suas práticas e decisões sejam guiadas por padrões éticos e estejam em conformidade com as regulamentações. A divulgação transparente de informações financeiras e operacionais, juntamente com práticas de governança responsáveis, contribui para a construção e manutenção da confiança dos stakeholders.

As relações de trabalho têm se transformado bastante desde a pandemia, que acelerou processos. Nesse caminho, os ambientes corporativos têm oferecido maior autonomia aos colaboradores e, ao mesmo tempo, a consequência traz pessoas mais envolvidas na cultura e normas éticas da empresa como um todo, sendo uma transição positiva. Quando os desafios são compartilhados, o trabalho em equipe se fortalece.

A transparência é crucial para todas as empresas que buscam incorporar práticas sustentáveis e responsáveis – e não apenas as multinacionais ou presentes na bolsa de valores. Ao serem claras em suas operações e divulgar informações sobre suas políticas ambientais, sociais e de governança, empresas de todos os portes estabelecem um elo de confiança com clientes, investidores e a comunidade em geral. A divulgação transparente de métricas e objetivos relacionados à sustentabilidade permite uma avaliação mais precisa do desempenho corporativo nesses aspectos. A melhor forma de atingir esse foco é por meio de dados – e é aí que entram ferramentas e plataformas, como a frotacontrol, para dar suporte a essas demandas. 

Além disso, a transparência contribui para a prestação de contas, possibilitando que a empresa seja responsabilizada por suas ações e resultados. Isso é particularmente relevante em um cenário onde a conscientização sobre questões ambientais e sociais está em constante crescimento. Empresas transparentes são mais propensas a atrair investidores comprometidos com práticas éticas e sustentáveis, fortalecendo assim sua posição no mercado.

4. Inovação tecnológica e eficiência operacional

A inovação tecnológica é uma aliada valiosa na abordagem dos desafios ESG, principalmente no segmento da gestão de frotas. A implementação de sistemas inteligentes de gestão de logística, o uso estratégico de dados para otimizar rotas e reduzir desperdícios, bem como a adoção de tecnologias de rastreamento para garantir a segurança e a eficiência nas operações, são elementos essenciais. A tecnologia não só impulsiona a sustentabilidade, mas também contribui para a eficiência operacional.

A inteligência artificial (IA) está revolucionando essa eficiência dos transportes globalmente. Em sistemas de gerenciamento de tráfego, a IA otimiza fluxos, reduzindo congestionamentos e melhorando a fluidez. Em veículos autônomos, a inteligência artificial permite a condução automatizada, aumentando a segurança e otimizando rotas. 

Plataformas de logística utilizam IA para aprimorar o planejamento de rotas, reduzindo custos e emissões. Algoritmos de previsão alimentados por inteligência artificial melhoram a gestão de frota, antecipando necessidades de manutenção e minimizando paradas não programadas. Essas inovações promovem uma transformação significativa, tornando os transportes mais eficientes, sustentáveis e seguros em escala global. 

E este é só o começo, já que outras inovações, como a Geo Inteligência Artificial (GeoIA), estão a caminho, proporcionando transformações significativas no uso dos dados espaciais. É um novo mundo que se descortina.

Desafios ESG: o futuro começa agora

As demandas urgentes nos departamentos sociais e ambientais para os setores de logística e transportes em 2024 representam uma chamada para a ação. A transformação é inevitável e, ao mesmo tempo, oferece oportunidades significativas de inovação e crescimento sustentável. 

Quando as empresas abraçam a mudança e integram práticas mais sustentáveis em suas operações, respondem às exigências da sociedade e regulamentações, mas também moldam um futuro mais resiliente e igualitário para as indústrias de logística e transporte. O caminho pode ser longo, mas quanto antes começarmos essa jornada, melhores benefícios colheremos no futuro próximo.