O que há nos sete cantos do mundo

Conhecer vários países, línguas e culturas diferentes não está restrito apenas aos turistas, tripulantes de cruzeiros também podem adquirir uma grande bagagem cultural e sem gastar quase nada.
 “Eu embarquei com 21 anos, fiz três contratos (total de três anos), conheci lugares incríveis, fiz muitos amigos e meu pé de meia”, conta Carolina Coelho, diretora da ISMBR.
A estudante Debora Mara Bucco vai retornar a rotina no navio. “A razão de eu trabalhar em barco, não tem muito a ver com o lado profissional e sim o fato de juntar dinheiro de forma rápida, e de quebra conhecer uns lugares paradisíacos”, comenta completando que a remuneração é muito boa.
Após conhecer oito países em seis meses, Espanha, Itália, Turquia, Tunísia, França, Montenegro, Gibraltar e Grécia, Debora pretende reviver a experiência de trabalhar com mais de 20 nacionalidades e conhecer lugares novos.
“Salários em dólar, custo zero a bordo do navio (hospedagem e alimentação por conta da companhia e sem desconto do funcionário), conhecer várias partes do mundo trabalhando, contato com várias culturas diferentes, trabalhar em um ambiente internacional e desenvolvimento de idiomas são as maiores vantagens de ser tripulante de cruzeiros”, explica Carolina Coelho, diretora da agência ISMBR.
A ISMBR pré-seleciona 400 candidatos aventureiros, solícitos, que gostem de hotelaria, turismo e que queiram desvendar os sete mares. As vagas são a bordo dos navios da Royal Caribbean e da Costa Crociere nos setores de governança (camareiros e faxineiros), restaurante (garçom), cozinha e entretenimento (dançarinos e animadores). Mais informações sobre o processo seletivo e as regras de seleção e cruzeiro estão disponíveis no site www.ismbr.net. As inscrições também serão feitas pela plataforma online.
 <imprensa@ismbr.net>

Débora (dir.)  e seus colegas de trabalho.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.