Agência curitibana entrega ´Mundo do Perfume´ para Instituto Grupo Boticário

O Instituto Grupo Boticário confiou à Genéricka – agência live do Grupo G/PAC, com sede em Curitiba – a criação de uma nova proposta para um de seus mais emblemáticos espaços de arte, o Espaço Perfume Arte + História, que foi inaugurado com novo conceito no último dia 10 de outubro, sob o nome O Mundo do Perfume, viagem pelas fragrâncias.

O case de brand experience (experiência de marca que agrega valor e percepção emocional) da agência curitibana envolveu desde a pesquisa do novo endereço, a escolha do local, o Museu Catavento – segundo museu mais visitado em São Paulo, destacado entre os 10 museus mais visitados da América Latina – passando pela definição do nome e da linguagem empregada, mais leve e arrojada, visando a atenção da família como um todo, com especial apelo para o público jovem.

O desafio surgiu no modelo de concorrência e, a Genéricka teve a seu favor o sucesso do projeto itinerante, Conexão Estação Natureza, que nasceu para ter vida útil de um ano e, com atualização de tecnologias, ganhou fôlego para ir além dos 38 mil quilômetros já percorridos pelo Brasil. Antes mesmo de emplacar esse mega-projeto, com engajamento ímpar, que percorreu 24 cidades brasileiras e teve mais de 9 milhões de impactos diretos, nos últimos três anos, sempre com sucesso de público e mídia espontânea, o time da Genéricka já havia deixado sua marca no museu Espaço Memórias, que o Grupo O Boticário mantém em sua sede, em Curitiba.

O desafio

Lançado em 2010, o Espaço Perfume – um museu pautado por acervos históricos, focado no público adulto, em especial pesquisadores de moda e comportamento, demandou atenção. “Fomos brifados para criar um novo projeto com a intenção de explorar o contexto social do perfume. Nessa nova fase, o objetivo era criar uma atração para o público jovem. Aproveitamos a oportunidade para pensar um projeto de Brand Experience para que o visitante pudesse ter uma verdadeira experiência de marca, de maneira imersiva, interativa e lúdica”, conta a diretora executiva da Genéricka, Maria Claudia Lima Bandeira.

A trajetória da Genéricka contemplou a adequação do projeto dentro do endereço escolhido. “Desde o início, identificamos a relação estreita do Catavento com o objetivo do cliente. No entanto, tivemos que dobrar os cuidados de produção por estarmos trabalhando dentro de um edifício tombado pelo patrimônio histórico. Fato que compensou e agregou valor ao trabalho da Genéricka, que teve formidável apoio do museu. Nossa negociação contemplou a presença do Instituto Grupo Boticário em dois ambientes: a Sala do Olfato e a Sala do Perfume”, revela.

Para o Instituto Grupo Boticário o grande desafio do projeto era valorizar a ludicidade, trazendo um conteúdo que envolvesse os visitantes. “Ficamos muito satisfeitos com a proposta apresentada e a concretização da exposição, que transmite todo o encantamento que permeia os nossos espaços culturais”, afirma a coordenadora de Educação e Cultura, Thaís Machado.

Ambientes

Na Sala do Olfato, o público encontrará um espaço mais intimista e terá conteúdo sobre memória olfativa e curiosidades sobre o órgão olfativo, o nariz. “O ambiente tem proposta intuitiva e pode ser percorrido sem monitoria. Um dos destaques fica por conta da exibição de um filme sensorial, numa sala com difusores de fragrâncias, transmitido em nove telas que contam a história desde o primeiro perfumista, a mãe natureza”, detalha Ricardo Leite, diretor de criação e planejamento da Genéricka.

Já na Sala do Perfume, uma grande galeria que explora informações desde o Egito Antigo até os dias atuais, os visitantes terão acesso ao Laboratório do Perfume, onde será possível conferir o processo de fabricação de forma lúdica. Também neste ambiente, um dos grandes atrativos é o filme do Dr. Perfume, exibido em duas telas, onde o personagem interage entre dois espaços, a mensagem principal será a valorização da profissão perfumista e a importância do perfume na sociedade”, acrescenta o criativo.

O Instituto Grupo Boticário foi assertivo em apostar num novo projeto de Brand Experience, uma estratégia certeira para aproximar a marca do consumidor. “O Mundo do Perfume além de um acervo riquíssimo, entrega história. Acreditamos que esse é um investimento bastante agregador, que completa os esforços de disseminação da cultura e presença em redes sociais. Transformamos conteúdo em experiência física”, aponta a diretora executiva, Maria Claudia.

Expertise

“Temos uma expertise de longa data na construção de cenários para feiras e congressos mas, o know-how na construção de museus a Genéricka adquiriu com a exigência estratégica demandada pelos projetos do Instituto Grupo Boticário. Ampliamos nosso portfólio na produção de conteúdos de experiência, analisamos e aprendemos muito com o comportamento do público nesses espaços. Também tivemos, recentemente, uma nova oportunidade de mostrar nosso trabalho, num projeto de brand experience, para o Grupo Marilan, com sede em Marília-SP”, afirma Maria.

“Quando lançamos o Conexão Estação Natureza,  vencedor do Prêmios ABERJE Sul, Colunistas, e Chico Mendes, o óculos virtual era a grande atração, junto com o cinema 360º. Eles continuam no projeto, mas as atualizações de tecnologia o mantêm ativo e atraente ao público até hoje. No Mundo do Perfume, projeto com validade de cinco anos, não contemplamos realidade virtual. Apostamos em automação e defendemos o que encanta. Apesar de transbordarmos para o digital – porque temos um site 360º criado com a expertise da E-tools – esse projeto é mais baseado em filmes porque acreditamos que o trunfo é a simplicidade”, acrescenta o diretor de criação e planejamento.

Histórico

Apesar de novo para o mercado, o projeto do O Mundo do Perfume foi assimilado pela Genéricka em 2015. “O cliente confiou na nossa expertise para apresentar a nova proposta alinhando conceitos de interatividade e tecnologia, mas acreditamos na experiência emocional. Entendo que a melhor ferramenta é aquela que fala com o coração”, pontua Maria.

Segundo a diretora, o job demandou a criação de uma equipe multidisciplinar e ultrapassou as paredes da agência. “Reunimos criativos, diretores, museólogos, historiadores, arquitetos, designers, cenógrafos, produtores de vídeo e som e especialistas em tecnologias”, lista.

“Num projeto como esse, o céu é o limite. Tivemos que fincar uma bandeira de largada e uma de chegada. Idealizamos e prototipamos o melhor possível dentro do budget do cliente, das nossas experiências pessoais, do ideal de público, do fazer algo inovador e do desejo de deixar um legado. Todo esse caminho complexo teve que ser criado, testado e confrontado”, completa.

Legado

Um projeto de Brand Experience, como o Mundo do Perfume, exige uma dose de sensibilidade, principalmente na parte criativa. “Um dos nossos grandes trunfos foi acertar o conteúdo dentro de linguagens acessíveis, com o poder de transmitir mais significado que conhecimento, de forma a permitir que o visitante saia com residual. O filme Olfato, por exemplo, que é sensorial, demandou uma redação bem diferente para explicar o que é memória olfativa. O jeito de fazer roteiro, produção e escolher imagens também precisou ser diferente”, explica Leite.

Ter um museu no portfólio não é ter um evento. “Não é qualquer agência de eventos que faz essa entrega. Trata-se de uma quebra de formatos possíveis. Um processo completamente imersivo e intuitivo que exigiu conhecimento da equipe e enorme capacidade de pesquisa. Fomos cinco anos atrás e também imaginamos o futuro”, conclui Maria.