17 de novembro – Dia Mundial da Prematuridade

Sociedade Paranaense de Pediatria reforça a consulta com o médico para fazer o pré-natal regularmente

Todos os anos nascem 15 milhões de prematuros em todo o mundo. Estatísticas revelam que um a cada dez bebês nasce prematuro, ou seja, antes das 37 semanas de gestação, e as taxas indicam que os números só aumentam em todo o mundo. Para evidenciar a importância da assistência médica adequada ao bebê e prevenir o parto prematuro, quando possível, a partir de um completo pré-natal, no dia 17 de novembro é celebrado em 50 países o Dia Mundial da Prematuridade.

Para este ano o mote da campanha nacional é: nascer adiantado não significa estar atrasado. O objetivo é de adotar estratégias que visem diminuir a taxa de prematuridade. Segundo a Sociedade Paranaense de Pediatria (SPP), que apoia esta campanha, no pré-natal é possível detectar e controlar as causas maternas de trabalho de parto prematuro, minimizando riscos para a mãe e o bebê.

Pediatras da SPP reforçam que é preciso desmistificar o fato de que prematuros tenham qualquer tipo de complicação durante o seu desenvolvimento e crescimento. Outras orientações são de que é importante considerar que, logo após o nascimento, o prematuro precisa estabelecer uma respiração adequada, além de outros cuidados em Pediatria/Neonatologia.

Principais cuidados
De acordo com pediatras da Sociedade Paranaense de Pediatria, os principais cuidados são: manter o bebê em incubadora ou berço aquecido; colocar oxigênio para ajudá-lo na respiração; instalar soro na veia do bebê; dar o leite materno por um tubo fino e macio; colher amostras de sangue para a realização de exames.

No período da internação é difícil aos pais, mas eles precisam estar próximos do filho, para que aprendam todos os cuidados necessários após a alta hospitalar. Após a alta, o bebê precisa ser levado ao pediatra. O especialista indicará aos pais todos os cuidados que devem ser tomados, em relação à alimentação, ganho de peso, sono, vacinas entre outros.