A base de um relacionamento é a confiança, pois dentro de uma relação, as duas partes precisam confiar uma na outra para poderem compartilhar segredos e momentos íntimos.

O problema é quando se confia na pessoa errada, uma atitude comum aos jovens que pode causar sérias situações de desconforto.

Atualmente, com os equipamentos eletrônicos, é normal que um casal troque fotos íntimas. Mas, pessoas de mau caráter podem compartilhar esses arquivos com os amigos e conhecidos, causando um impacto negativo na vida do parceiro, principalmente para as mulheres, maiores vítimas desse tipo de situação.

Quando se é alvo dessa exposição, antes de tomar alguma atitude, é necessário manter a calma e aceitar o fato com suas implicações, segundo Cynthia Wood, psicóloga e psicopedagoga. Quando acontecer a conversa, o namorado deve entender o erro grave que cometeu ao compartilhar, sem consentimento, algo de intimidade da parceira.

"Nessa conversa procure se concentrar no quanto ele lhe magoou e não nas acusações sobre como ele deveria ter se comportado", diz a especialista. "Isso vai evitar que a discussão acabe em uma briga pelo que cada um acredita ser certo, o que não é o melhor caminho".

Para as jovens que possuem pais compreensivos, pode-se contar o ocorrido a eles. Mas, para Cynthia Wood, é importante ressaltar que a confissão para a família não é uma obrigação, já que é um direito da garota falar, ou não, sobre o assunto com quem quiserem.

A psicóloga clínica ainda alerta que a pessoa que sofreu essa exposição pode ser alvo de piadas e comentário maldosos. Quanto a isso, a jovem deve se manter de cabeça erguida, ignorando o comportamento das outras pessoas, pois a vergonha e evasão podem ser responsáveis por atrair mais comentários e condenações irresponsáveis.

A situação não deve ser tratada como um problema, mas como um acontecimento com o qual a garota precisa lidar: o de confiar na pessoa errada. Por isso, é bom que desde o início ela se posicione sobre o assunto quando necessário, volte a levar a vida normalmente e continue a encarar os amigos de forma natural. Dessa forma, ocorrerão menos provocações, o que afetará menos a estudante.

"Se posicionar como vítima da situação ou reagir de forma agressiva não vai ajudar", diz a especialista. "Quando perguntada sobre o ocorrido, desvie o assunto, dando recomendações por experiência própria de não confiar em qualquer um. Busque não entrar em detalhes, afinal isso não diz respeito a outras pessoas. Também evite colocar toda a culpa no parceiro, isso pode colocar amigos mais próximos dele contra você, aumentando o barulho.  No final das contas, ele errou, mas você errou também em ter confiado. Assuma sua parcela de culpa de forma sincera, mesmo que a considere muito menor".

Cynthia Wood diz que apesar do constrangimento do caso, que não será esquecido pela pessoa que sofreu a exposição, com o tempo a repercussão do ocorrido diminui. Outros eventos e novidades ficarão em evidência, portanto, com o tempo, todos irão encontrar outros assuntos e parar de falar sobre isso.

Para passar por cima desse problema e se recuperar, a dica da psicopedagoga é: continue sendo você mesma, tente agir sempre com naturalidade, evite o assunto sem fugir dele quando inevitável, assuma sua parcela de culpa e seja sincera com todos em relação aos seus sentimentos.

Muitas situações difíceis ainda acontecerão ao longo da vida. É importante que os jovens aprendam a lidar com os desconfortos, tratando os acontecimentos desagradáveis como uma forma de fortalecer seu caráter e vivência.

Cynthia Wood, psicóloga e psicopedagoga clínica
Site: www.crescendoeacontecendo.com

plugcom@plugcom.net.br

Talvez você se interesse por estes artigos.

Fechar Menu