Livro conta a história de lutas da Associação dos Docentes de Maringá

A Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Maringá (Aduem), fundada em 1978, acaba de lançar um livro sobre os 40 anos da instituição. A obra foi escrita pelo pelo historiador e professor Reginaldo Dias e jornalista Dirceu Herrero Gomes. O lançamento ocorreu no dia 14 de dezembro no auditório Nadir Cancian, na própria Aduem.

Os dois escritores se debruçaram sobre atas, revistas, jornais, entre outros documentos, e entrevistaram vários dos presidentes que passaram pela entidade. O resultado é um livro com 320 páginas, com programação visual da Sinergia Casa Editorial.

Os autores Reginaldo Dias e Dirceu Herrero Gomes

Durante o lançamento, Dirceu Herrero Gomes, lembrou um trecho da abertura do livro, escrito pela presidente da Aduem, Elaine Rosely Lepri: “Preservar a memória de uma instituição contribui para fortalecer suas bases, entender o passado e planejar o futuro. O olhar sobre as pessoas que pavimentaram o alicerce para a construção desta trajetória é uma forma de valorizá-las”.

Gomes frisou que o ideal é que os leitores se inspirem nas ações de “centenas de voluntários que passaram pela Aduem nestes 40 anos e possam realizar grandes obras e ações em prol de um setor, de uma comunidade ou de um país”. Reginaldo Dias fez uma explanação geral sobre o livro, sobre a história da Aduem, e garantiu que “é impossível pensar na história da UEM sem a associação.

A presidente Elaine Lepri disse que o livro presta homenagem a cada professor, “tanto os que protagonizaram a história, como aqueles que assistiram aos fatos”.

”.Elaine Lepri, presidente da Aduem, durante seu discurso

O vice-presidente da Aduem, Paulo Roberto Paraíso, lembrou que a entidade foi criada em um momento difícil da ditadura civil-militar no Brasil e citou algumas das lutas dos professores, como a gratuidade do ensino, melhores condições salariais e de trabalho, entre outras que contribuíram para que a UEM se transformasse em uma das melhores universidades do país.

O reitor Julio Damasceno também enfatizou que a Aduem contribuiu na pavimentação do caminho para o atual estágio de reconhecimento da UEM, que “poassui um quadro com servidores altamente capacitados, fruto de pessoas dedicadas em prol de grandes causas coletivas”.

O auditório Nadir Cancian ficou lotado durante o lançamento

Também discursaram o jornalista Clóvis Augusto Melo, diretor de Gestão da prefeitura de Maringá; a presidente do Conselho da Mulher do município, Tania Tait; o professor José Tarcísio Pires Trindade, que presidiu a comissão de implantação da Aduem; e o ex-presidente da entidade, Nelson Garcia.

Quebrando o protocolo, a professora e ex-primeira dama do Município, Lia Sambatti, discursou durante o evento e disse que é preciso que a história também destaque as ações realizadas pelas mulheres.

Talvez você se interesse por estes artigos

Empresa será responsável pelo atendimento a clientes do aplicativo de entregas em todo o Brasil                 A Liq, principal empresa de Customer Experience do Brasil,...
Fechar Menu
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com