INVESCON adota pool de locação para edifícios comerciais

Para o empresário paranaense, Luis Napoleão Filho, CEO da Invescon, empresa de desenvolvimento e investimento imobiliário, 2019 será o ano de consolidar o pool de locação de salas comerciais, modelo de negócios criado e até então utilizado com exclusividade pela hotelaria para o concorrido mercado imobiliário. Ousadia, assertividade e compartilhamento de ganhos são qualidades que servem de alicerce a este modelo de negócio pioneiro no setor, que vem se confirmando como uma resposta efetiva à grande concorrência causada pelo excesso de oferta.

Há dois anos, Napoleão, que é reconhecido entre seus pares imobiliários pela ousadia e criatividade, testou o conceito inspirado no caminho trilhado pela rede hoteleira Holliday Inn (bandeira trazida ao Brasil pelo Grupo LN), no edifício Anchieta Business, um de seus produtos, com 239 salas comerciais e, graças aos resultados obtidos, decidiu replicar o modelo no Barigui Business Center (BBC), um edifício comercial de alto padrão desenvolvido pela Invescon num dos endereços mais promissores de Curitiba, que foi entregue em novembro de 2018.

Com foco em transformar oportunidades em investimentos inteligentes, o empreendimento corporativo, 100% vendido a investidores, apostou num modelo de negócios que elimina o risco de concorrência entre proprietários no momento da locação. “Sem dúvidas é um feito inédito que, apesar de sido questionado num primeiro momento, cria uma sinergia entre os investidores e proporciona aumento de ganhos a todos”, salienta Napoleão. “Entendo que se trata de um caminho para evitar a concorrência entre os investidores, manter o preço de mercado do metro quadrado, viabilizar a locação e valorizar os ativos. Acredito, inclusive, que esse é o tipo de solução que o mercado e os investidores em potencial devem esperar de uma empresa com foco em obtenção de renda e ganho de capital”, analisa.

A criação do empreendimento corporativo teve como ponto de partida a abertura de uma associação exclusiva para unir a Invescon, desenvolvedora e investidora, a outros investidores interessados em renda por meio de imóveis. Após a conclusão da obra, constitui-se uma Sociedade de Conta e Participação (SCP), transferindo-se apenas a posse do imóvel e não a propriedade. Os sócios reuniram-se estabelecendo os valores mínimos de aluguel, prazos de carência e outras possíveis demandas dos inquilinos que passa a ser aplicada pela gestora e os conselheiros eleitos.

Segundo o CEO, além da vantagem de se evitar a concorrência e, consequente, a redução dos valores de locação, diminui também o risco da vacância, uma vez que se uma sala for desocupada, a receita do pool continua sendo rateada entre os investidores e a gestão profissional valoriza o ativo. É como se fosse um prédio de um único proprietário, explica Napoleão.

Bastidores de um case de sucesso

Antes de o projeto do BBC sair do papel, o terreno do Barigui Business Center, localizado na rua Mário Tourinho, 1.746, foi adquirido pela Invescon, de um extinto player nacional, com a finalidade de ser um empreendimento corporativo ímpar. A região, que recebeu anteriormente outros quatro edifícios comerciais de alto padrão, vem sendo considerada a Berrini de Curitiba. O trabalho da Invescon incluiu desde o briefing do projeto, contratatação e gestão de todos os projetistas e arquiteto, além da prospecção de investidores com objetivos comum. “Fizemos todo esse trabalho numa época terrível de crise, com salas comerciais amargando total descrédito”, conta.

Com a estratégia bem amarrada e o discurso sobre investir num modelo de associação pró-construção, a preço de custo, focado em renda, a Invescon cobra sua taxa de desenvolvimento e também participa como cotista e investidora. No caso do BBC manteve 20% de participação. “Sempre investimos nos projetos que desenvolvemos. Fazemos isso a título de alinhamento com os investidores e porque confiamos na assertividade dos produtos. Somos especialistas, respiramos o mercado imobiliário e por isso estamos atentos às melhores oportunidades”.

Estratégia

Para que o pool de locação fosse viabilizado dentro do BBC, todos os andares foram negociados pelo mesmo valor. Segundo o empresário, existem empresas que priorizam a instalação de seu negócio no último andar, enquanto outras preferem o primeiro pavimento, em função do deslocamento mais ágil. Para isso todos andares da mesma forma. “Calculamos as cotas do pool com base nos metros quadrados privativos de cada investidor. Neste empreendimento, oito andares, do total de 14, entraram para o pool. A participação não era obrigatória”, explica.

Novo empreendimento

Tamanha a convicção no modelo de negócios, Napoleão Filho revela que a Invescon já caminha para o terceiro prédio desenvolvido com a criação de um pool de locação. “Fechamos uma parceria com a família detentora do imóvel do tradicional restaurante Scavollo, na Avenida Batel. Lá o objetivo é locar o prédio inteiro para uma única empresa”, antecipa. Como o casarão é tombado, o prédio será feito na parte de trás, e promete ser um ícone da cidade. O investimento será feito com a participação de outros investidores e o retorno será bastante atrativo”, conclui.

Saiba mais pelo site: www.invescon.com.br

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu