Após reviravolta, dupla paranaense conquista terceiro lugar no Rally dos Sertões

0
143

Depois de rodar quase cinco mil quilômetros e enfrentar várias quebras, Maronezi e Luciani se superam na etapa final e conquistam pódio neste que foi o mais duro rally de todas as temporadas

Encerrou neste domingo (dia 1º), em Aquiraz, na região de Fortaleza (CE), a 27ª edição do Sertões, a mais aguardada prova do calendário nacional de rally. Foram oito dias de disputas e quase cinco mil quilômetros rodados, envolvendo mais de 300 competidores. Para o piloto paranaense Daltro Marcelo Maronezi e a navegadora Luciani Tesseroli, a prova teve muitas surpresas e um pódio que foi conquistado na última etapa. Essa foi a oitava participação de Maronezi no maior Rally das Américas e o terceiro lugar na categoria Super Production foi considerado um presente.

A etapa de abertura, entre Campo Grande (MS) e Costa Rica (MS), foi uma prova rápida e a dupla paranaense terminou sem quebras e com o terceiro melhor tempo. As dificuldades para todos os competidores chegariam já na segunda etapa, entre Costa Rica (MS) e Barra do Garças (MT), com cerca de 180km percorridos à noite. “Foi a mais longa de toda história do Rally dos Sertões e poucos carros conseguiram completar a prova. Nós completamos e isso nos deixou em segundo lugar na categoria”, conta o piloto.

Otimismo mantido para a terceira etapa, entre Barra do Garças (MT) e São Miguel do Araguaia (GO), que apesar de um percurso longo, não trouxe surpresas para a dupla paranaense. Eles encerraram com o terceiro melhor tempo da categoria e a crença que neste ano haveria chances de brigar pelo título. Mas na quarta etapa, de São Miguel do Araguaia (GO) a Porto Nacional (TO), veio a quebra. “Nós perdemos uma roda e demoramos quase 1h30 para achar no meio do mato e colocar no lugar. Então acabamos ficando em último lugar da categoria, mas mesmo assim, na geral estávamos em quarto”, disse Maronezi.

Após reviravolta, dupla paranaense conquista terceiro lugar no Rally dos Sertões
Foto: Sanderson Pereira

No trecho entre Porto Nacional e São Félix do Tocantins, quinta etapa do Sertões 2019, houve uma obstrução na prova e como os paranaenses largaram em último, acabaram se prejudicando numa passagem estreita e não conseguiram completar. Era o adeus às chances de pódio. A sexta etapa entre São Félix do Tocantins (TO) e Bom Jesus (PI) também foi de quebras, mas a dupla não perdeu a esperança.

A superação aconteceu na sétima etapa, que partiu de Bom Jesus (PI) e chegou Crateús (CE), após quase mil quilômetros de deslocamento. A dupla fez o segundo melhor tempo e recuperou a quarta posição na geral. E os bons ventos voltaram a soprar em favor dos paranaenses na etapa final, entre Crateús (CE) e Aquiraz (CE). Correndo na areia, o terreno favorito de Maronezi, seria necessário tirar uma diferença de 10 minutos em 18km para o concorrente. “Foi uma coisa impressionante, andamos muito forte e tiramos 11 minutos de diferença. E outro carro da categoria não conseguiu largar, porque atolou na areia, isso nos rendeu a terceira posição. A gente já estava conformado e contente com o quarto lugar, mas foi extremamente gratificante chegar ao pódio e repetir a colocação de 2017”, relatou emocionado.

Maronezi conta que este foi o rally mais duro que já fizeram. “Estamos exaustos, mas muito felizes, foi realmente uma prova duríssima, com deslocamentos noturnos, trechos pesados, quebras e atrasos, por isso estamos muito satisfeitos com essa colocação e por representar o Hospital Erasto Gaertner em todos os lugares que passamos”, comemora o piloto. A dupla divulga de maneira solidária os projetos que visam a construção do Erastinho, primeiro hospital do Sul do Brasil dedicado ao tratamento de crianças e adolescentes com câncer.