78% dos brasileiros se sentem mais produtivos trabalhando remotamente na pandemia

Se a pandemia assustou o mercado de trabalho quando começou, agora a adaptação ao trabalho remoto já é visto com bons olhos, 78% dos brasileiros se sentem mais produtivos trabalhando remotamente e 94% das empresas passaram a utilizar algum tipo de atividade em Home Office durante a pandemia de acordo com pesquisa da Cyrela;

  • Em novembro de 2020, 7,3 milhões de pessoas estavam trabalhando remotamente no Brasil, sendo que destes 84,4% eram trabalhadores formais. Lembando que 71% dos profissionais em Home Office se dizem mais felizes. No mundo, 37% da força de trabalho já é mobile, conforme a IDCResearch.

“A tendência é que, no Brasil, o Home Office, cresça 30% após a pandemia. Assim, como no trabalho remoto, esta realidade já está incorporada nas empresas” explica Renato Pádua, Gerente Comercial da CWBem.

Trabalho Remoto x Home Office
Para separar bem como é cada modelo de negócio, o trabalho remoto engloba todo trabalho desenvolvido à distância. Também chamado de teletrabalho, a característica principal é a independência da presença física do trabalhador em um escritório formal, podendo ser realizado de casa, de um coworking ou até mesmo em trânsito.

Já o Home Office se caracteriza no desenvolvimento das atividades de trabalho a partir da sua própria residência. Por conceito é um modelo híbrido dividido por alternância entre trabalho em casa e trabalho na empresa:

“Este modelo necessita de ajustes na ergonomia e custeio de infraestrutura e comunicação, ou seja, precisa de um projeto especial. Só desta maneira, com um apoio profissional para a mudança, é possível evoluir para um formato de Home Based, quando o trabalho passa a ser 100% em uma estrutura fora da empresa com suporte adequado” lembra Renato.

Mobilidade Corporativa
A condição de realizar as tarefas de trabalho de qualquer lugar, com acesso virtual a sistemas, ferramentas sem prejuízo do resultado, traz benefícios para todos os lados e, é por este motivo que os números mencionados são tão elevados, como reforça Renato:

“Há impacto positivo nas relações corporativas, com a obrigatoriedade de ajuste rápido das empresas à aplicação do novo formato. Mas o lado positivo só acontece com a adequação de estruturas dos colaboradores para realização das atividades, com modelagem e controles. A tendência é que este modelo se torne permanente”.

Já nas pessoas, o impacto é igualmente positivo. Envolve mudança na rotina com as pessoas mais tempo em casa, convivendo com o restante da família em um ambiente que mescla trabalho e atividades domésticas. A gestão da empresa precisa se fazer presente:

“Os colaboradores são obrigados a desenvolverem autogestão e cuidarem isoladamente de tarefas e prazos a que não estavam acostumadas. A gestão dos colaboradores faz parte do projeto de trabalho remoto, com diversos desafios” completa o especialista.

 

trabalho remoto, trabalho home office, home office, trabalho em casa, trabalho em casa, cwbem, mercado de trabalho, projeto de home office, projetos para empresas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui