DB1 revoluciona setor elétrico em projeto para Treetech

O sistema ECM foi reformulado para trazer mais inovação e qualidade para a Treetech.

Toda a documentação está registrada em requisitos do formato Markdown. O ECM também está totalmente escalável e seus algoritmos de engenharia são flexíveis, pois rodam integrados em C# e Python.

A Treetech, empresa especializada na gestão de ativos e instalações elétricas, buscava modernizar o sistema ECM. Esse sistema existe para receber e interpretar informações de sensores, de modo que a equipe possa visualizar os dados e tomar decisões.

Com o passar dos anos, como acontece com todo software, o ECM deu sinais de que precisava se atualizar. A usabilidade ficou complexa, o controle de perfis já não atendia às necessidades da empresa, não era responsivo e nem escalável. A internacionalização também foi impactada pela obsolescência do ECM, pois havia uma limitação de até 3 idiomas.

Para empresas de desenvolvimento de software, o ECM também se apresentava como um grande desafio. Suas regras de negócio e a interface de visualização pertenciam a uma só camada e, claro, tratava-se de uma tecnologia legada (ASP clássico).

Porém, não se pode simplesmente abrir mão de um sistema que acumula mais de 20 anos de monitoramentos de ativos de potência. Esse era um trabalho que precisava ser feito à 4 mãos, alcançando o equilíbrio entre as novas tecnologias e o conhecimento adquirido com a ajuda do ECM ao longo de décadas.

Como a DB1 aceitou o desafio e revolucionou o ECM

A DB1 Global Software, uma empresa do Grupo DB1 especializada no desenvolvimento de software sob demanda, foi escolhida para levar o sistema a um novo nível de excelência.

Daniel Pedrosa, CEO da Treetech Tecnologia, conta um pouco sobre o processo de decisão pela DB1. “Precisávamos desenvolver alguns softwares para a gestão de ativos e monitoramento do sistema elétrico brasileiro. Embora soubéssemos com precisão quais eram as nossas necessidades em termos de funcionalidade e usabilidade, sabíamos também que para realizar um projeto daquele tamanho era necessário ter um departamento muito grande. Na época, ao invés de decidir por montar e aprender a fazer toda essa técnica dentro da nossa empresa, decidimos procurar no mercado uma companhia que pudesse desenvolver aquilo que nós precisávamos. Foi aí que encontramos a DB1, e desde então temos desenvolvido bastante coisa com eles, com um grande grau de sucesso.”

A partir deste ponto, a DB1 começou a desenvolver uma solução que pudesse não só resolver os principais problemas relatados pela Treetech, mas que também pudesse agregar mais valor ao seu sistema, com novos recursos, novas tecnologias, novas ideias e conceitos, sempre buscando alcançar o fator UAU do cliente.

Desta forma surgiu o projeto de reformulação do sistema ECM, com o codinome “Sigma 4.0”. Durante o desenvolvimento deste projeto, com sua nova arquitetura, novas tecnologias e um time muito comprometido em entregar o seu melhor em desempenho, inovação e qualidade, novas demandas surgiram e o ECM além das melhorias iniciais, recebeu novas funcionalidades.

Conciliando duas décadas de monitoramento de ativos com software de alta tecnologia

A plataforma do ECM foi reconstruída de modo que, hoje, ela permite que o sistema opere de forma modularizada e extremamente customizável através de plugins. Isso garante uma capacidade de resposta muito mais assertiva às necessidades do mercado, afirma Daniel Carrijo, Diretor de Engenharia/PD&I da Treetech, e Patrono Técnico do Projeto.

Daniel segue satisfeito: “para o setor elétrico, a tecnologia empregada nesse produto, e o produto em si, será um passo que posso chamar de revolucionário. Estamos agregando tecnologias que vão possibilitar um passo a mais para que o mercado e os agentes do setor elétrico possam atender as demandas que muitas vezes são impostas pelos órgãos reguladores e pelas condições de mercado, de maneira muito mais dinâmica e acessível em questão de custo.”

Com uma interface totalmente repaginada, focada em usabilidade e experiência do usuário, no ECM foi implementado com a possibilidade de configurar e classificar alarmes e diagnósticos conforme necessidade, de personalização dos parâmetros das normas e métodos e de utilização com módulos de engenharia para monitorar e controlar ativos de forma preventiva, onde é possível ao usuário gerir de forma rápida e segura seus clientes e os dados dos mesmos.

Tudo flui melhor até para desenvolvedores, pois toda a sua camada de visualização foi finalmente separada das regras de negócio.  Hoje, as regras de negócio estão disponíveis em arquitetura API Restful. Toda a documentação está registrada em requisitos do formato Markdown. O ECM também está totalmente escalável e seus algoritmos de engenharia são flexíveis, pois rodam integrados em C# e Python.

“O projeto abriu minha mente para as diversas possibilidades que o desenvolvimento de software pode ter. Foi bem gratificante ver toda a nossa evolução, não só de cada um como profissional, mas evolução do time como um todo. As regras de negócio do produto sempre foram muito complexas, então precisou de muita dedicação e muita força de vontade de todos. Tivemos vários desafios, mas o time se uniu de uma maneira incrível, criando uma parceria que me deixou cada vez mais confiante de que tudo iria dar certo no fim”, afirma Andreia Artin, Analista de Testes da DB1 Global Software.

Com toda essa inovação, hoje o ECM fornece a mesma qualidade de informações com uma melhor usabilidade e visualização através de dashboards modernos, alarmes intuitivos, gráficos relevantes e tabelas de dados, dentre outros.

Para mais informações sobre a parceria entre a DB1 Global Software e a Treetch, acesse: https://www.db1.com.br/cases/treetech/?utm_source=imprensa&utm_medium=referral

Para mais informações sobre como a Treetech reformulou seu software com a DB1, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=eLKKI8m8pcY&t=1s.

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui