Conversa com artistas encerra exposição que revê acervo fotográfico do MUPA pelo olhar indígena

Conversa com artistas encerra exposição que revê acervo fotográfico do MUPA pelo olhar indígenaEste é o último fim de semana para ver a exposição Retomada da Imagem, no Museu Paranaense (MUPA). No sábado (15), às 15h, os artistas Denilson Baniwa, Gustavo Caboco e suas convidadas, que criaram as obras de forma coletiva, recebem o público em uma roda de conversa, para contar sobre as descobertas e reflexões que surgiram durante a pesquisa no acervo fotográfico do Museu e sobre o processo criativo. A mostra é resultado de um projeto do museu de revisão do seu acervo científico e cultural sob a perspectiva de outros agentes.

O projeto Retomada da Imagem começou em julho de 2021, com a proposta do MUPA para que Baniwa e Caboco se aproximassem das imagens do Museu que representam povos indígenas. Como ponto de partida, além do objeto das investigações, o museu também definiu um prazo, um aporte financeiro e pediu que, ao final dos trabalhos, houvesse um material que pudesse compartilhar com um público amplo as reflexões geradas durante o processo de pesquisa. Todos os outros passos foram definidos pelos artistas.

Os artistas optaram por compartilhar esse contato próximo com as fotografias com outros indígenas convidados, e criar em conjunto representações sobre o acervo do MUPA. Nesse encontro, muitos dos indígenas nas imagens foram identificados como membros da mesma comunidade e até da mesma família dos presentes. As obras e fotografias instantâneas criadas nesses quatro dias de pesquisa e criação, conversas e questionamentos podem ser vistas na exposição em cartaz até este domingo (16). Fazem parte também desta mostra, objetos e fotografias do acervo do museu, com as legendas técnicas apresentadas em paralelo a legendas criadas pelos indígenas.

O projeto Retomada da Imagem ainda inclui um material digital sobre o processo, previsto para ser publicado neste trimestre.

O MUPA é uma instituição de 145 anos e atualmente tem um total de mais de 800 mil peças entre seus acervos antropológico, histórico e arqueológico. Um dos destaques é a coleção de Vladimir Kozák, que integra o programa Memória do Mundo da UNESCO-Brasil, com pinturas, desenhos, cadernetas de campo fotografias, filmes e documentos que retratam indígenas brasileiros entre 1948 a 1978. Estas e outras fotografias foram o ponto de partida para a investigação do projeto Retomada da Imagem e algumas delas podem também ser vistas na exposição.

Serviço – Conversa pública com artistas Denilson Baniwa,Gustavo Caboco e convidadas sobre o projeto Retomada da Imagem

15 de janeiro, 15h

Museu Paranaense, Rua Kellers, 285.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui