A artista Raphaela Corsi lança, em 13 de abril, a sua primeira HQ retratando personagens da história afro-curitibana, na Gibiteca de Curitiba.

A artista Raphaela Corsi lança, em 13 de abril, a sua primeira HQ retratando personagens da história afro-curitibana, na Gibiteca de Curitiba.Sankofa é um ideograma adinkra, que significa: “Nunca é tarde para voltar atrás e lembrar do que foi esquecido”. A história em quadrinhos (HQ) “Sankofa: a história dos Afro-curitibanos” reúne três contos que se passam na cidade de Curitiba, costurando o passado e o presente em importantes lugares de memória negra, como a antiga Igreja do Rosário dos Pretos de São Benedito. As personagens marcantes da história afro-curitibana presentes na obra – não mencionados por uma parte considerável da história oficial, mas que passaram a ser cada vez mais conhecidos da população curitibana nos últimos anos – são uma mulher do início do  século XIX, que se posiciona e enfrenta repressão; um homem escravizado que vai à Guerra do Paraguai e se lembra daqueles que não tiveram o direito à memória; e pessoas negras que viviam na cidade antes da chegada massiva dos imigrantes europeus, lembradas durante a Festa do Rosário, que se tornou parte do patrimônio da cidade, celebrando as religiões de matrizes africanas e promovendo o respeito inter-religioso.

O evento presencial de lançamento da HQ “Sankofa: a história dos Afro-curitibanos” vai acontecer no próximo dia 13 de abril, quarta-feira, na Gibiteca de Curitiba, com entrada gratuita e distribuição de exemplares.

Às 19h, Raphaela Corsi participa de uma Roda de Conversa com os artistas Adriele Tornesi, João Ferreira, Lilo Viana, Marcio Garcia, Monge Han, com mediação de Fulvio Pacheco, diretor da Gibiteca de Curitiba e, a partir das 20h, tem início a distribuição gratuita de exemplares e sessão de autógrafos.

A autora, Raphaela Corsi, é ilustradora, pesquisadora e quadrinista. Já realizou inúmeras participações em exposições, publicações e fez a curadoria dos projetos “Ubuntu: Eu sou nós” (2016) e “Linha Preta Curitiba” (2019), à frente do Centro Cultural Humaita – Centro de Estudo e Pesquisa da Arte e Cultura Afro-brasileira. O livro conta ainda com roteiro de Isolda Marques, estudante de Artes Visuais na FAP, e apoio de Mel e Kandiero, na pesquisa e editoração do livro; Storyboard do Gabriel Corsi; diagramação do João Ferreira; e coordenação financeira do Eduardo Plahtyn Fernandes. O projeto foi realizado com recursos do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Também está marcado um lançamento virtual da HQ, com a presença da autora, roteirista e convidados, no dia 19 de abril, no Canal de Youtube do Centro Cultural Humaita, a partir das 19h.

História e cultura afro em Curitiba

Para Kandiero, da Editora Humaita, é importante destacar que, em Curitiba, a invisibilidade negra foi parte de um amplo projeto de políticas eugenistas posto em prática em todo o Brasil e, de forma bastante contundente, no Paraná. Para a construção da ideia de um “Paraná branco”, no final do século XIX, foram reunidos os principais artistas e intelectuais da época. Hoje, se faz necessário construir uma narrativa mais verdadeira. E este HQ da talentosa artista Raphaela Corsi, construído na parspectiva dos afro-curitibanos, pode se desdobrar em diversos novos HQs, apresentando personalidades negras que contribuíram desde a gênese da vila que veio a se tornar a capital mais negra do sul do Brasil. Em 2023, a lei 10.639/03 completa vinte anos e este é um importante material que, além do valor artístico, pode apoiar educadores, pois reúne elementos de história e cultura afro-curitibana. Nós, da Editora Humaita, estamos entusiasmados com esse novo lançamento, que vem atender um novo perfil de leitoras e despertar a curiosidade para as nossas ancestralidades afro-paranaenses.

Raphaela Corsi

Raphaela Corsi é ilustradora, quadrinista e pesquisadora curitibana. Formada em Artes Visuais, pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, e pós-graduada em História Cultural e Antropologia. Cresceu lendo quadrinhos e depois acabou encontrando suas cores nas culturas brasileiras e religiões afro. Ilustra para a Revista Capitolina e para o Centro Cultural Humaitá, ONG da qual faz parte desde 2016, onde organizou o projeto-exposição “Ubuntu: Eu sou nós” (2016) e “Linha Preta Curitiba” (2019). Publica seus trabalhos online, com o nome Karmaleão. Sankofa é a sua primeira publicação de livro em quadrinhos. Conheça o portfólio da autora, suas redes sociais e artes exclusivas, com diversos temas ligados às religiões de matrizes africanas, no link https://linktr.ee/karmaleao .

Isolda Marques

Apaixonada por cinema e teatro; formada em audiovisual e teatro; atualmente cursa o 3.º período de Artes Visuais, na Faculdade de Artes do Paraná/FAP. Produziu diversos projetos de audiovisual, tendo sido premiada algumas vezes, dentre elas, o primeiro lugar no Festival Nacional Curta no Celular, em 2020.

Serviço:

Lançamento presencial da HQ “Sankofa: a história dos Afro-curitibanos”

Data: 13 de abril de 2022

Local: Gibiteca de Curitiba

Endereço: Rua Carlos Cavalcanti, 533

Horário: 19h
Evento com entrada gratuita e distribuição de exemplares.

Lançamento virtual da HQ “Sankofa: a história dos Afro-curitibanos”

Data: 19 de abril de 2022

Local: Canal do Youtube do Centro Cultural Humaita

Link: https://bit.ly/canal-humaita

Horário: 19h

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui