Loja online: o desafio de vender para 5 bilhões de consumidores

Saiu o Relatório de Visão Geral Global Digital 2022, um estudo completo da Hootsuite e da We Are Social, trazendo informações relevantes de como o planeta se comporta com a internet e tudo que esteja relacionado com a conectividade, incluindo as vendas online.

O levantamento é um termômetro real de como a pandemia e o isolamento social alavancaram o mundo digital, com destaque para o significativo crescimento de dois dígitos em usuários em redes sociais, a consolidação dos velhos conhecidos – YouTube – e Instagram, ascensão do TikTok o expressivo crescimento do comércio virtual.

Para Keslen de Andrade Deléo, Consultora de Tecnologia do Farol do E-commerce, Desenvolvedora de Comércio Online, o maior destaque do relatório se refere aos usuários de redes sociais e o real potencial de compradores que estão na web:

“A internet faz parte da vida de 5 bilhões de pessoas em todo o planeta. Em 2021, ano em que a pandemia estava no seu momento mais crítico, o uso da internet cresceu 4% no comparativo com 2020. Os pedidos de comida puxaram as vendas no momento em que ninguém podia sair para ir em restaurantes ou até mesmo em supermercados e o consumidor aprovou a ideia.”

Loja online e redes sociais
O levantamento reforça o poder das redes sociais. Em 2020, ano zero da pandemia, as redes aumentaram em meio milhão de pessoas, versus um ano antes. Em 2021, o crescimento foi mais acentuado e bateu a casa dos 10 %: “ São 13 novos utilizadores a cada segundo, com 92% usando celular para consumir conteúdo e, principalmente, fazer compras”.

Das redes sociais para a loja virtual
Para Keslen, o tempo médio em que o internauta fica na internet diariamente garante que qualquer comprador tenha acesso às lojas virtuais em uma exposição constante beirando sete horas por dia, que, traduzido em tempo útil, representa cerca de 40% do tempo de uma pessoa acordada.

Para ratificar a tendência, a consultoria MOB INC divulgou em 2021 que, na pandemia, os brasileiros migraram de vez para compras digitais, aumentando consideravelmente o volume destas transações – com 97% dos entrevistados declarando que compraram mais no conforto de casa usando a tecnologia:

“Sem uma loja online preparada, esses consumidores não conseguem comprar e migram direto para a concorrência. A ascensão do comércio digital trouxe novos consumidores que devem ser tratados da melhor forma possível” concluiu a especialista.

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui