Condomínios podem aumentar a segurança com medidas simples e baratas

Com cinco dicas fáceis e sem custo todos podem contribuir para diminuir os riscos de segurança no local onde residem

Condomínios podem aumentar a segurança com medidas simples e baratas
Igor Marçal. Crédito: Priscilla Fiedler.

Por conforto, comodidade e principalmente segurança, os prédios e condomínios horizontais vem sendo a primeira escolha para morar há alguns anos. Entretanto, o aumento da criminalidade vem exigindo também que os moradores estejam cada vez mais atentos a possíveis falhas estruturais e vulnerabilidades existentes em seus condomínios. Isso pode ajudar bastante a inibir ações indesejadas como invasões, furtos e roubos, explica Igor Marçal, diretor da Primee, empresa referência em segurança e em serviços terceirizados no Paraná. Ele ressalta que investir em melhorias no local ou iniciar novos empreendimentos visando o projeto de segurança ajudarão a sanar esses problemas.

“Sabemos que as construções mais antigas não levavam em conta a questão da segurança e algumas das atuais tem excessiva preocupação estética. Com isso, vemos portarias construídas em posições que impedem uma visão ampla da rua, paredes de vidro que mostram o interior do prédio, muros baixos, entre outros aspectos que aumentam a vulnerabilidade das edificações. Por isso o morador deve estar atento para cobrar cuidados onde reside e solicitar alterações para o bem-estar de todos”.

E para auxiliar na segurança, hoje mesmo, nos condomínios, Marçal dá cinco dicas fáceis e sem custo, para que todos possam por em prática:

  1. Evitem criar “escadas” para invasores. Árvores, lixo, escadas e outros objetos devem ser afastados de muros;
  2. Galhos e folhagens junto a cercas elétricas e pontos de alarmes devem ser aparadas. O disparo constante leva a subestimar os disparos e criam o desuso do sistema;
  3. O acesso e destino do lixo reciclável deve ser observado, pois muitos criminosos estudam as vítimas por itens descartados sem destruição, mapeando nome, apartamento, compras feitas e recebidas entre outras informações.
  4. O condomínio deve priorizar a segurança sobre a comodidade nos procedimentos de acesso, permitindo sempre que seus funcionários exijam a devida identificação e observação de protocolos de acesso a todos, inclusive moradores e seus visitantes.
  5. O condomínio deve estabelecer uma rotina de tarefas noturnas para que o porteiro esteja atento durante a noite e não durma.

Ele destaca ainda que os empreendimentos de hoje precisam de um plano de segurança que vá além da implantação de alarmes, câmeras e portarias. Tem que ter um olhar para a localidade em que está inserido, definir procedimentos para funcionários, moradores, fornecedores e visitantes. “Se o bairro for perigoso, o projeto precisa ser ainda mais criterioso, pois o acesso pela rua não pode estar em posição inadequada, sem visibilidade ou escura. Tudo isso precisa ser levado considerado.”

Segundo Marçal, para atender essa lacuna na segurança dos novos empreendimentos, por observarem a demanda crescente de clientes preocupados com sua moradia pelas falhas estruturais, a Primee junto com o especialista em segurança e ex-capitão e instrutor do Bope, Paulo Storani, lançam um produto inovador no mercado, o Building Security Intelligence – BSI. Um serviço de consultoria e Certificação em Inteligência para segurança de edifícios.

Construtoras visam aumentar a segurança em novos lançamentos

O Building Security Intelligence – BSI visa eliminar possíveis vulnerabilidades não só do empreendimento, mas também do acesso, entorno e unidade, imperceptíveis ao morador leigo na área de segurança. A consultoria aos empreendimentos imobiliários vai desde a fase do planejamento, elaboração do projeto até as melhores práticas de sua operação após a entrega. O projeto piloto encontra-se na fase final de projeto e ainda no primeiro semestre haverá o lançamento oficial em Curitiba para todo o mercado nacional.

Paulo Storani comenta a importância desse projeto para as famílias e o seu diferencial para as construtoras. “O conceito do projeto é cuidar das pessoas, desde o espaço físico que elas habitam até todo o entorno, que é importante, e, ao fazermos isso contribuímos também para a Segurança Pública. Não tenho dúvida que o mercado vai receber esse conceito muito bem, porque é desenvolvido para proteger as famílias. E se as construtoras estão preocupadas também com a segurança, isso significa que elas vão ter uma ideia que se expande ao limitado da estrutura física, indo além de oferecer apenas um espaço confortável, mas levando maior segurança, experiência e agregando valor ao empreendimento”.

Segundo o diretor comercial da Primee, Igor Marçal, o BSI traz um olhar voltado para as pessoas e a construtora terá esse diferencial inovador nos seus empreendimentos. “Se houver um prédio com similaridade em planta, áreas comuns, valor, localização, opções de lazer, mas um tiver o BSI com o estudo de segurança, assinado pelo consultor em segurança reconhecido nacionalmente, Storani, será um diferencial no mercado”.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui