5 exames mais importantes para o diagnóstico de câncer urológico

Entre as principais doenças urológicas está o câncer, sendo o de próstata o mais comum entre os homens e o terceiro mais incidente no Brasil, perdendo apenas para o câncer de pele do tipo não melanoma e para o de mama. Segundo o Instituto Nacional de Câncer – INCA, é predominante em todas as regiões do país, estimando-se 72 mil casos novos de câncer de próstata a cada ano do próximo triênio (2023-2025).

“É consenso que a prevenção é o melhor caminho para uma vida saudável, por isso, é importante que os homens, independentemente da idade, façam consultas regulares e realizem seus exames urológicos, principalmente os preventivos, que servem para diagnóstico e combate de doenças como o câncer de próstata e demais cânceres urológicos. Vale ressaltar que quanto antes se realiza o diagnóstico maiores são as chances de cura e com tratamentos menos invasivos.” A afirmação que serve de alerta para a população masculina é do urologista e uro-oncologista Leonardo Welter. 

O câncer de próstata pode ser dividido em três grupos de risco: baixo, intermediário e alto. Os tumores de baixo risco são considerados indolentes e podem ser acompanhados periodicamente. Já os tumores de risco intermediário e alto são muitas vezes tratados com cirurgia ou radioterapia. Já o tratamento da doença avançada é baseado no bloqueio da testosterona ou bloqueio hormonal. 

Abaixo, seguem elencados os 5 exames mais importantes para o diagnóstico de câncer urológico.

1. Exame de toque retal: o exame digital da próstata, popularmente conhecido como toque retal, é o exame pelo qual o médico analisa características da glândula prostática. Este exame permite analisar dados como a forma, a consistência e a presença ou não de nódulos suspeitos. Esse procedimento dura aproximadamente 5 segundos quando realizado por médicos experientes e capacitados. 

2. Exame de sangue PSA (antígeno prostático específico): mede a quantidade de PSA presente no sangue. PSA é uma substância produzida pela próstata e sua presença em níveis elevados no sangue pode indicar problemas na próstata, como câncer ou inflamação. O exame é geralmente indicado para homens com idade superior a 50 anos ou com histórico de câncer de próstata na família.

3. Cistoscopia: exame indicado quando há suspeita de problemas na uretra ou na bexiga, como, por exemplo, infecções ou câncer urotelial. A cistoscopia permite a visualização da bexiga e da uretra por meio de um tubo com câmera que é inserido pelo pênis. 

4. Ultrassonografia da próstata: muito solicitado pelos médicos, este exame usa ondas sonoras para criar uma imagem da próstata. Com ele é possível detectar anormalidades na próstata, como nódulos ou aumento da glândula, podendo ser usado como um exame complementar ao de toque retal e ao de sangue PSA. A ultrassonografia de próstata também pode ser usada para guiar uma biópsia, caso haja suspeita de câncer.

5. Ressonância magnética multiparamétrica da próstata: exame mais específico usado para diferenciar nódulos malignos ou benignos da próstata e que traz mais detalhes anatômicos da próstata. Pode ser usado como “mapa” para eventuais biópsias prostáticas e para definir nódulos malignos que já estão se estendendo para fora da próstata.