Tecnologia contribui para a segurança das operações no Píer Cattalini

A previsão da Marinha do Brasil sobre o registro de ventos de 50 a 70 Km/h, com rajadas, ondas de até 3 metros e visibilidade moderada nos próximos dias, destaca a importância dos sistemas e procedimentos adotados pela Cattalini Terminais Marítimos para garantir que suas operações no píer privado ocorram de forma segura e dentro na normalidade.

O píer Cattalini conta com sistemas que fornecem dados precisos sobre condições climáticas em tempo real. Entre as ferramentas disponíveis estão a plataforma Medusa, que coleta dados climáticos com 9 dias de antecedência e a Estação SISMO – Hidromares, que fornece a velocidade e direção das correntes marítimas e dos ventos. Além desses sistemas, as informações compartilhadas pela Marinha do Brasil, através do site e do canal VHF 16 CAPIMAR, refletem o panorama da costa brasileira.

“Com todas as informações em mãos podemos tomar decisões assertivas e com previsibilidade. Para garantir a segurança das pessoas e das operações, em casos de clima adverso, as atividades podem ser paralisadas e, neste caso, as comunicações com os navios são repassadas com precisão de data e horários dos eventos”, declarou Jandir Domiciano Alves, Encarregado de Turno – Píer.

O monitoramento é realizado pelas equipes operacionais que atuam no píer privado diariamente e se somam à checagem nos arranjos de amarração para evitar afastamentos dos navios. “Em caso de descargas atmosféricas há consulta e compartilhamento das informações fornecidas pelo sistema BOLTEK, inclusive com troca de informações com a sala de controle própria da Cattalini e a da Praticagem”, explicou.

O envio de informações sobre as condições climáticas é feito antes da atracação dos navios, por meio do documento denominado pré-arrival, também de amplo conhecimento das equipes em terra da Cattalini Terminais. Com 229 metros de extensão, o píer Cattalini possui dois berços de atracação, com calados de 12,8 e 12,0 metros, respectivamente.