5 dicas para comer menos doces

A nutricionista da Companhia Athletica Curitiba ensina a diminuir a ingestão de açúcar

Ter vontade de comer um docinho de vez em quando é completamente normal. No entanto, de acordo com a nutricionista Melissa Santos, da Companhia Athletica Curitiba, se o desejo for frequente, ele pode ser um sinal de que sua dieta está desequilibrada.

 

“Geralmente, a vontade de comer doces ocorre quando estão faltando nutrientes, vitaminas ou minerais. É o próprio corpo buscando o que ele precisa e a pessoa não está ingerindo”, explica a nutricionista. Para esses casos, Melissa tem algumas dicas para amenizar a compulsão.

 

DICA 1: Naturalmente adocicados

“Busque uma dieta baseada em alimentos mais adocicados, como frutas frescas, desidratadas ou secas e oleaginosas”, recomenda a nutricionista. Ricas em gorduras boas, que geram a sensação de saciedade, as castanhas do pará e de caju, nozes e amêndoas são boas pedidas.

 

DICA 2: Alternativos

“Existem alguns fitoterápicos e ervas e até mesmo vitaminas e minerais que trabalham diminuindo a compulsão por doce”, afirma a profissional. Além do chá de hibisco e da Garcinia Cambogia, Melissa indica a ingestão de alimentos ricos em vitaminas do complexo B, que podem ser encontradas em cereais integrais, carnes e ovos, por exemplo.  O magnésio, que auxilia no aumento da produção de Serotonina – o que diminui a compulsão por doce – está presente em vários tipos de vegetais e folhosos vede-escuros.

 

DICA 3: Substitutos

De acordo com Melissa, hoje, há uma facilidade de encontrar, até em supermercados, produtos que podem substituir o chocolate ao leite, por exemplo. “Existem variedades de chocolates meio-amargos com maior teor de cacau”. A alfarroba, que é um pó extraído de um tipo de vagem, é um ingrediente com o qual são feitos vários tipos de doce mais saudáveis. “Ela funciona como se fosse um chocolate, mas não contém lactose ou glúten e pode ser incluída na dieta para tentar minimizar essa vontade de doce”, explica.

 

DICA 4: Reeduque-se

A compulsão e o consumo exagerado de doces podem gerar o aumento de peso e, consequentemente, elevar o risco do desenvolvimento da diabetes. Por isso, é importante reavaliar os hábitos alimentares, junto com um profissional habilitado. “O ideal é sempre fazer a correção da programação alimentar e da dieta do paciente, para que essa vontade não volte”, afirma Melissa.

 

DICA 5: Aprenda novas receitas

Existe uma infinidade de receitas que usam pouco ou nenhum açúcar e, mesmo assim, conseguem ter o sabor adocicado alcançado com ingredientes naturais. O brownie funcional de Melissa comprova que não é preciso enfiar o pé na jaca para satisfazer o desejo de comer um doce. Aprenda a receita para fazer em casa:

 

Ingredientes:

3 ovos

2 e ½ xícara de açúcar de coco

1 e ½ xícara de chocolate em pó

½ xícara de cacau em pó sem açúcar

½ xícara de óleo de coco

1 colher de sopa de essência de baunilha

1 pitada de sal

1 xícara de farinha de arroz peneirada

½ xícara de fécula de batata

1 colher de chá de fermento em pó

Barra de chocolate 60% cacau picada

 

Modo de preparo:

Junte a farinha de arroz, a fécula de batata e o fermento. Reserve. No liquidificador, bata os ovos com o açúcar durante cinco minutos. Adicione o cacau e o chocolate em pó, o óleo de coco, a essência de baunilha e o sal. Bata até que fique homogêneo. Misture a massa aos ingredientes secos e mexa com uma espátula. Adicione o chocolate picado e coloque a massa em uma forma forrada com papel manteiga e leve ao forno ajustado em 180 graus, por 15 minutos (pode levar até 25 minutos, dependendo do forno utilizado). O brownie deve formar uma casquinha no topo, sem perder a cremosidade interna.

 

Dica: para saber se está pronto, espete um palito e analise a textura; a massa não pode estar crua, mas ela não chega à consistência de um bolo comum, fica mais úmida.

Os pedaços que sobrarem podem ser cortados em quadrados e congelados. Na hora de servir, deixe descongelar em temperatura ambiente e dê uma leve aquecida no forno.

 

Um pouco sobre a Companhia Athletica

Presente no mercado há 32 anos, a Companhia Athletica conta com 17 unidades distribuídas pelo Brasil. Com o conceito de academia completa, reúne em um único ambiente opções para cada necessidade. A unidade em Curitiba, localizada no ParkshoppingBarigüi, no Piso G6, tem 3.250 m² de área construída, cinco salas e diversas aulas de luta e aeróbia. Como diferenciais da unidade, estão: salas climatizadas, espaço destinado às crianças e programa de exercícios físicos desenvolvidos, especialmente, para a faixa etária de 3 a 14 anos, além de aulas e equipamentos exclusivos. Há 11 anos na capital, a unidade conta com cerca de 30 modalidades na grade. As famosas aulas de Hopping e Flying Cords são alguns dos destaques da academia que é conhecida como pioneira às tendências do mercado esportivo.

 

O objetivo da rede de academias é melhorar a vida dos alunos como um todo, não apenas na qualidade dos equipamentos ou competência técnica; mas também no pensamento empresarial, no ambiente, no clima e na troca de sorrisos. Proporcionar a troca de experiências saudáveis e fazer com que o aluno saia da academia melhor do que entrou são os lemas da rede que funciona durante 363 dias do ano em todo o País.

 

SERVIÇO:

Academia Companhia Athletica

ParkshoppingBarigüi

Piso G6

(41) 3241-5000

http://ciaathletica.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/ciaathleticacuritiba/
Instagram: https://www.instagram.com/ciaathleticacuritiba/

 

 

Informações para a imprensa:

Mcomm Comunicação Dirigida

Fone/fax: (41) 3343-9800

Marcus Contin DRT/PR 3838

e-mail:marcus@mcommdigital.com.br

e-mail: beatriz@mcommdigital.com.br

www.mcommdigital.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/mcommcomunicacao
Instagram: @mcommcomunicacao

 

Talvez você se interesse por estes artigos

O nervo ciático é responsável por controlar as articulações do quadril, joelho e tornozelo e, também, os músculos posteriores da coxa e os músculos da perna.  A lombociatalgia, mais conhecida como "dor no ciático", é um problema...
Fechar Menu