Número de empresas inadimplentes chega a 5,4 milhões, revela Serasa

O número de empresas inadimplentes no Brasil bateu novo recorde em janeiro de 2018. Cerca de 5,4 milhões de CNPJs estavam negativados, a maior quantidade registrada desde março de 2015, quando o levantamento passou a ser feito. Em relação a janeiro de 2016, quando 4,4 milhões de CNPJs acusavam dívidas em atraso, houve um aumento de 22,7%. O montante alcançado pelas dívidas das empresas também é inédito: R$ 123,8 bilhões.

Inadimplência das empresas se concentra no Sudeste

Mais da metade das empresas em situação de inadimplência estão no Sudeste do país (54,2%). O Nordeste tem 16,3% do total de companhias com dívidas em aberto, enquanto o Sul responde por 15,6% do total. Completando a lista, o Centro-Oeste, com 8,6%, e o Norte, com 5,3% do total dos CNPJs negativados no Brasil.

Entre os estados, São Paulo tem o maior número de inadimplentes, com 32,9% do total. Em seguida está Minas Gerais, com 11,0%, e Rio de Janeiro em terceiro, com 8,3%.

Inadimplência por setores

Entre os segmentos, o setor de serviços é o que reteve o maior número de empresas no vermelho em janeiro/2018, com 47,5% do total, seguido por empresas do comércio, com 43,0% de CNPJs negativados, e, na terceira posição, as indústrias, com 8,6%.

Segundo os economistas da Serasa, a saúde financeira das empresas ainda continua sendo impactada pelo baixo dinamismo em 2017, especialmente do setor de serviços. Além disso, as companhias costumam não se programar adequadamente para o pagamento do 13º salário dos funcionários no final do ano, o que costuma gerar mais dificuldades no caixa no início do ano. Os desafios do acesso ao crédito, especialmente para as micro e pequenas, também prejudicam a gestão financeira das empresas.

Empresas podem negociar dívidas atrasadas pela internet

Para ajudar as empresas a saírem da inadimplência, a Serasa Experian disponibiliza o Serasa Recupera PJ (www.serasarecupera.com.br), um serviço online para as companhias renegociarem suas dívidas atrasadas diretamente com os credores. Os responsáveis devem se cadastrar gratuitamente no site e acessar a página onde estarão relacionados os credores participantes com os quais a empresa possui alguma conta em aberto, que esteja na base de dados da Serasa. Ao clicar no nome do credor serão apresentadas as pendências e os canais de atendimento disponíveis (telefones, e-mail, chat) para efetivar a renegociação.

Lançado em janeiro de 2016, em seu primeiro ano no ar, o Serasa Recupera ajudou 40 mil companhias inadimplentes a quitarem débitos atrasados, fazendo com que R$ 55 milhões voltassem aos credores.

A ferramenta conta com mais de dois mil credores, de diversos portes e segmentos, e oferece um ambiente ágil e seguro para o fechamento de acordos. Com isso, mais devedores podem sair do vermelho e retomar o acesso ao crédito.

“Nosso objetivo com o Recupera PJ é reinserir essas empresas no mercado de crédito. Entendemos que este momento de crise econômica é propício para incentivar a aproximação de quem está devendo e quer pagar com quem vendeu ou prestou o serviço e precisa receber”, diz o vice-presidente de Pessoa Jurídica da Serasa Experian, Victor Loyola.

Você também lê esta notícia no site noticias.serasaexperian.com.br

anagreghi@comuniquese2.com.br

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu