Perspectivas da Abimaq para 2018 é de retomada do crescimento

Expectativa do setor de máquinas e equipamentos é o fim da redução nos investimentos, depois de quatro anos de queda no consumo aparente

A Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) apresentou os indicadores econômicos de dezembro e fechamento do ano de 2017, no início da tarde desta quarta-feira, 31. No balanço divulgado, o presidente do Conselho de Administração da Associação, João Carlos Marchesan, demonstrou otimismo frente às expectativas para o ano de 2018. Um desses indicativos positivos foram as vendas realizadas pela Indústria de Bens de Capital Mecânicos, que cresceram 0,9% em dezembro de 2017, em função do aumento das vendas para o mercado externo, que cresceu  16,3%.

Marquesan destacou que ainda é cedo para falar em crescimento, no entanto já é possível falar na retomada da economia, prevendo um crescimento daqui dois ou três anos. “Fomos comprimidos nos últimos quatro anos, agora neste momento de resiliência de economia estamos retomando uma posição perdida ao longo dos últimos anos com perspectivas para o fim da redução nos investimentos”.

Entre os dados divulgados, em 2017, a curva da receita líquida de vendas acompanhou o desempenho sazonal do setor. No mês, a receita registrada foi de R$ 5,4 bilhões, ligeiramente abaixo da receita observada no mesmo mês de 2016. No total, as fábricas de máquinas faturaram R$ 67,14 bilhões com exportações e vendas internas.

Dados positivos foram registrados nas exportações, que tiveram um crescimento mensal em dezembro, ocorrido em todos os setores fabricantes de Bens de Capital Mecânicos. O destaque ficou para o setor fabricante de Máquinas para a Indústria de Transformação, cujas  exportações de máquinas para estampar metais, de comando numérico e centros de usinagem para trabalhar metais representaram 65% do crescimento desse setor.

Crescimento também, em dezembro, no Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI), na indústria de máquinas e equipamentos, que chegou a 74,9%. O nível observado foi 0,7% superior ao do mês de novembro de 2017, e 11,7% superior ao mês de dezembro de 2016.

Indicadores de redução
Os investimentos produtivos medidos pelo consumo aparente de máquinas e equipamentos registraram redução de 7,1% no mês de dezembro, na comparação com o mês imediatamente anterior. Na comparação interanual, também houve queda (-13,9%), a 18ª consecutiva neste tipo de comparação.

Redução também nas importações, que encerrou o ano com a quarta queda consecutiva (-17,2%). Em dezembro, as importações voltaram a registrar  queda  de 5,2%,  na comparação interanual. Em relação ao mês imediatamente anterior também houve queda (-2,6%).

A indústria de máquinas e equipamentos encerrou 2017 com 289,6 mil pessoas ocupadas, uma redução de 0,7%, em relação ao mês de novembro de 2017. Na comparação com o final de 2016 houve redução de 1.963  postos de trabalho, a 48º queda consecutiva neste tipo de comparação.

Fonte: Assessoria de Imprensa Abimaq/PR

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu