Economia, segurança, praticidade e comodidade. Em busca destas vantagens, um número cada vez maior de paranaenses vêm utilizando o gás natural em suas residências. Neste mês, a Companhia Paranaense de Gás (Compagas) superou a marca dos 40 mil consumidores atendidos com gás natural no segmento residencial. No total, são 867 edifícios residenciais que utilizam, em média, 750 mil m³/mês do combustível no Paraná. Com este volume, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), a Compagas se mantém como a terceira maior distribuidora de gás natural para o segmento residencial do país.

O edifício responsável pelo registro deste recorde é o Porto Cabral, de Curitiba, que fez a conversão para o gás natural na segunda quinzena de abril. Segundo o síndico Valdemar Zanette, as expectativas após a mudança são as melhores. "Os moradores não aguentavam mais ver os botijões pelo condomínio. Então, optamos pela conversão em função da comodidade e da segurança. Agora não precisamos mais nos preocupar se o gás está acabando. Além disso, calculamos que iremos gastar até 40% menos com o gás natural", explica Zanette. O prédio conta com 92 apartamentos que passam a utilizar o gás natural nos fogões e aquecedores. Na área comum, o salão de festas, a zeladoria e a churrasqueira também contam com pontos de gás natural.

Utilizado para atividades de cocção e aquecimento nas unidades domiciliares e nas áreas comuns dos condomínios, como em salões de festas, zeladorias e churrasqueiras, o gás natural atrai pelo preço competitivo e por ser menos poluente que seus concorrentes. "Outra vantagem é o fornecimento contínuo, que elimina a preocupação do consumidor com estoque de combustível, além de não ser preciso destinar um local do edifício para armazenar cilindros de gás, otimizando as áreas comuns dos condomínios, podendo ser reaproveitado para construção de play ground, novas vagas de garagem, bicicletário, entre outros, reduzindo também o fluxo de caminhões que atrapalham o trânsito e os moradores", afirma Justino Pinho, gerente de vendas para o segmento Urbano da Compagas.

Há mais de 15 anos utilizando o gás natural, Lídia Felipe da Silva, síndica do Edifício Millenium - o primeiro empreendimento residencial atendido pela Compagas, em setembro de 2002 - revela as principais vantagens do combustível para os moradores. "Na época, optamos pelo gás natural exclusivamente pelo valor, que é bem mais em conta que o GLP. E estamos com o gás até hoje pela segurança e praticidade", conta Lídia.

Por ser mais leve que o ar e se dissipar facilmente na atmosfera, o gás natural não é tóxico - o que reduz os riscos de vazamentos e acidentes. Outro ponto forte é a possibilidade da medição individual do consumo, com fatura emitida no nome do cliente. "Por essas vantagens, além de novos condomínios construídos com a rede de gás natural, cada vez mais empreendimentos já habitados migram para o uso do combustível. Em 2018, pretendemos ampliar a base de clientes residenciais em mais de 10%", explica Pinho.

Atualmente, a Compagas conta com a rede de distribuição para atender o segmento residencial em mais de 20 bairros de Curitiba, dentre os quais se destacam Água Verde, Batel, Bigorrilho, Portão, Vila Izabel, Centro, Rebouças, Alto da XV, Juvevê e Cabral, e também em Ponta Grossa.

Sobre a Compagas - Concessionária responsável pela distribuição de gás natural no Estado do Paraná. Empresa de economia mista, tem como acionista majoritária a Companhia Paranaense de Energia – Copel, com 51% das ações, a Gaspetro, com 24,5% e a Mitsui Gás e Energia do Brasil, com 24,5%. Em março de 2000, a empresa passou a ser a primeira distribuidora do Sul do país a fornecer o gás natural aos seus clientes, com a inauguração do ramal sul do gasoduto Bolívia – Brasil (Gasbol). Atualmente, a Compagas conta com mais de 40 mil clientes dos segmentos residencial, comercial, industrial, veicular e geração de energia elétrica e está presente em 17 municípios: Araucária, Curitiba, Campo Largo, Balsa Nova, Palmeira, Ponta Grossa, São José dos Pinhais, Colombo, Quatro Barras, Fazenda Rio Grande, São Mateus do Sul, Pinhais, Campina Grande do Sul, Paranaguá, Londrina, Carambeí e Castro.

(aline@iemecomunicacao.com.br)

Talvez você se interesse por estes artigos.

Fechar Menu