Intenção de consumo dos paranaenses em abril é 20% maior do que no resto do país

Perspectiva de consumo, momento para compra de bens duráveis e perspectiva profissional contribuem para melhora do indicador

O indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) de abril é de 109,3 pontos no Paraná, 20% acima da média nacional, que está em 86,9 pontos. O estudo é elaborado mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR). Na comparação com março o indicador apresentou leve redução de 1,6% e alta de 13,4% com relação a abril de 2017.

A Perspectiva de Consumo, um dos principais elementos que compõem a ICF, apontou crescimento expressivo de 33,4% comparada a abril do ano passado. Com relação a março, o quesito teve queda de 1,3%. Os dados nacionais mostram retomada na Perspectiva de Consumo de 0,1% com relação ao mês anterior e 22,7% comparada ao ano anterior.

Elementos da pesquisa

Comparados com abril de 2017, exceto o indicativo que se refere à renda atual, todos os componentes da pesquisa apontaram reação favorável neste mês. Compõem a ICF os quesitos: Acesso ao Crédito, Perspectiva Profissional, Situação no Emprego, Perspectiva de Consumo, Renda Atual, Consumo Atual e Momento para Compra de Bens Duráveis.

Situação no Emprego e Perspectiva Profissional

Os paranaenses estão mais confiantes sobre o mercado de trabalho em comparação ao ano passado. Apesar da variação mensal negativa (-3,5%) quanto à Situação Atual do Emprego, aumentou o percentual de trabalhadores que se sentem mais seguros em relação ao emprego (38,6% em abril/2018 ante 32,1% em abril/2017).

A Perspectiva Profissional também teve elevação, com aumento de 10,4% em relação a abril de 2017.

 

Perspectiva de Consumo e Bens Duráveis

A Perspectiva de Consumo e a projeção sobre a Compra de Bens Duráveis dependem da estabilidade no emprego, pois geralmente o valor elevado desse tipo de produto requer algum tipo de endividamento. O mercado de trabalho voltou a ficar aquecido, o que acaba refletindo na maior intenção de compras e compras de maior valor agregado.

karla@pr.senac.br

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu