Correios expande uso de radiofrequência para agilizar serviços

Etiquetas de padrão GS1 agilizam rastreamento

O uso da tecnologia de radiofrequência (RFID, na sigla em inglês para Radio Frequency Identification) para o rastreamento de objetos do fluxo postal internacional será ampliada no Brasil. Os Correios e a União Postal Universal (UPU) – agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) para os serviços postais – iniciaram a implantação da terceira etapa do projeto QMS (Quality Monitoring System – em português, Sistema Global de Monitoramento). O projeto, que irá ampliar de cerca de 350 para mais de 2.300 a quantidade de portais RFID no País, contará com apoio técnico da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, uma vez que a tecnologia escolhida tem como base o padrão global EPC/RFID GS1.

Ao todo, o QMS envolverá 200 unidades operacionais dos Correios até o início de 2021. A radiofrequência permite que a identificação dos objetos seja feita via transmissão de dados por meio de etiquetas inteligentes dotadas de um chip interno, conhecidas como TAGs. De acordo com os Correios, a instalação das antenas permitirá que essas etiquetas sejam lidas automaticamente por meio de sinais de radiofrequência, permitindo identificar, rastrear e gerenciar envelopes e pacotes de forma individualmente ou em lotes, sem ter a necessidade de manusear o objeto, em complemento à atual leitura manual dos códigos de barras.

O sistema aberto e o padrão global GS1 permitem que o projeto adotado pelos Correios seja integrado a outros parceiros e operadores logísticos. “Isso trará uma melhoria importante aos processos postais como um todo”, destaca Ricardo Melo, executivo de negócios da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil. Melo lembra que, desde o primeiro semestre de 2017, os Correios e a GS1 têm trabalhado juntos em uma cooperação técnica de forma a identificar as principais demandas na área de automação e definir também quais padrões seriam mais adequados ao projeto. A partir de agora, com a instalação dos novos portais, essas premissas começarão a se tornar realidade. “As informações serão coletadas e tratadas em tempo real e com mais precisão no sistema dos Correios, ampliando a agilidade e a segurança dos dados”, reforça Melo.

Atualmente, os Correios contam conta com cerca de 350 antenas instaladas em 19 unidades operacionais, as quais são utilizadas pela União Postal Universal para medir o desempenho da entrega de cartas internacionais, de forma amostral. Com a expansão, além de aumentar a cobertura desse monitoramento, o sistema a ser desenvolvido permitirá monitorar as encomendas nacionais que possuam etiquetas com chip, gerando novos eventos de rastreamento.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu