Qual a diferença entre dieta restritiva e reeducação alimentar?

Pedro Henrique Caron*

A obesidade deve ser tratada com reeducação alimentar, não com dieta restritiva.

A restritiva é aquela dieta que baixa o número de calorias a uma quantia muito pequena. Por exemplo, de 1800 ela cai pra 1200, 1000 ou até 500 calorias por dia. O problema é que essas são dietas muito difíceis de manter, ninguém aguenta comer 500 calorias por dia por muito tempo. E o peso perdido acaba voltando.

O corpo começa a pensar que está perdendo muito peso e musculatura, a ficar sem energia, e começa a segurar: estoca o máximo de energia e gordura possível para não ter risco para a saúde. Isso acarreta a volta no ganho de peso.

Muitas pessoas não gostam da reeducação alimentar, pois é uma mudança no estilo de vida a longo prazo, que deve ser seguida para a vida toda. Envolve horários, mudanças no que comer, tem uma programação. Na dieta restritiva, basta fechar a boca para ter resultados mais rápidos, porém não duradouros.

Numa reeducação alimentar, é preciso estabelecer metas. Por exemplo, as quatro refeições diárias: café da manhã, almoço, lanche e jantar. Tem pessoas que não seguem as refeições e comem muito mais ao longo do dia.

É muito importante ouvir o nosso corpo. Quando você sentir que está saciado, pare de comer. Coma apenas o necessário, sem fazer pratos enormes. Não repita o prato. Não espere chegar até a sensação de estufamento. Evite tomar líquidos junto da refeição, o ideal é meia hora antes e meia hora depois. Também é bom evitar refrigerantes e reduzir o consumo de álcool.

Hoje nós vemos que a maioria das pessoas se beneficia da redução da ingestão de carboidratos, a chamada dieta low carb. Nossa sociedade baseia a alimentação em carboidratos e processados, para durar mais tempo nas prateleiras. Com isso, ingerimos mais carboidratos do que o necessário.

Ao mudarmos a alimentação para in natura, com frutas, verduras, legumes, carnes e ovos, ingerimos alimentos mais saudáveis do que os carboidratos processados. E a gordura boa, como a das castanhas, também ajuda a manter e saúde.

Lembrando que todas essas indicações podem ser feitas gradativamente, uma decisão por mês, para não ser brusca a reeducação alimentar para o seu organismo.

Comece com as quatro refeições. No mês seguinte, exclua o refrigerante. Depois, evite os processados. E assim por diante, dia após dia, com alterações que podem ser mantidas, que valem a pena e darão resultado no longo prazo para sua saúde alimentar e seu bem-estar.

*Pedro Henrique Caron é médico cirurgião especializado em cirurgia bariátrica e cirurgia do aparelho digestivo do Hospital Angelina Caron

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Assine a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

spot_img