Dia Internacional da Síndrome de Asperger: conheça mais sobre essa condição, quais os sintomas e tratamentos

Segundo dados do Center of Diseases Control and Prevention (CDC), um dos maiores Departamentos de Saúde dos EUA, cerca de 1% da população mundial tem algum tipo de Transtorno do Espectro do Autismo

Dia Internacional da Síndrome de Asperger: conheça mais sobre essa condição, quais os sintomas e tratamentos

Freepik

No dia 18 de fevereiro é celebrado o Dia Internacional da Síndrome de Asperger, data escolhida em homenagem ao aniversário de Hans Asperger, pediatra austríaco que escreveu sobre a síndrome pela primeira vez, em 1944. Além da homenagem, a data busca conscientizar a sociedade a respeito dessa síndrome, que é uma condição neurobiológica que faz parte do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e é classificado como uma forma mais branda do quadro. Chamada de autismo leve ou autismo nível 1 pelos especialistas, ela provoca os mesmos sintomas do autismo clássico, mas em uma escala menor.

Os TEA reúnem desordens do desenvolvimento neurológico presentes desde o nascimento ou começo da infância, são definidos por um conjunto de comportamentos que variam em grau e gravidade e é marcado por três características principais: dificuldade de socialização; alterações comportamentais como manias, ações repetitivas, apego excessivo a rotinas, interesse intenso em coisas específicas e, por último, dificuldades de comunicação por deficiência no domínio da linguagem e no uso da imaginação para lidar com jogos simbólicos.

Portadores dessa síndrome ouvem, enxergam e percebem o mundo de forma diferente de outras pessoas, pois costumam processar detalhes adicionais ao seu redor, principalmente, com os sentidos, fazendo com que sons, cheiros, cores e sentimentos pareçam mais brilhantes, fortes e intensos.

De acordo com dados publicados em 2020 pelo CDC (Center of Deseases Control and Prevention), um dos principais Departamentos de Saúde dos Estados Unidos, cerca de 1% da população mundial tem algum tipo de Transtorno do Espectro Autismo. No Brasil, não tem estudos de prevalência de autismo, portanto, não há números oficiais.

Inteligência que chama atenção

Pessoas com Síndrome de Asperger tem a capacidade de dominar as áreas de conhecimento em que se especializam, têm interesses intensos e são altamente focados. E esse é um dos motivos que as levam ao sucesso profissional. É o caso do Lionel Messi, jogador de futebol; Michael Phelps, nadador profissional; Van Gogh, pintor; Greta Thunberg, ativista líder no movimento contra as mudanças climáticas, entre outros.

Diagnóstico

As características e sintomas variam de acordo com cada paciente. No entanto, é importante observar, como já dito acima, alguns sinais como dificuldades em socialização, comunicação social e padrões restritos e repetitivos de comportamentos, atividades ou interesses desde a primeira infância.

Geralmente, o diagnóstico é realizado por uma equipe disciplinar composta por médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicopedagogo e neuropsicólogos. De acordo com o doutor Edmundo Clairefont Dias Maia, psiquiatra do Hospital HSANP, obter o diagnóstico o quanto antes e ter o acompanhamento médico é fundamental para que a criança consiga levar a vida da melhor forma possível. “O acompanhamento médico e dos outros profissionais da saúde auxilia no desenvolvimento da criança, dando mais autonomia a ela. Os resultados são perceptíveis na socialização, compreensão e interação social”.

Tratamento

A Síndrome de Asperger é uma condição e não uma doença, portanto, não há cura. Mas, há diversos tratamentos e intervenção terapêutica que proporcionam oportunidades para os pacientes de se desenvolverem e terem melhor qualidade de vida. “Cada autista recebe o tratamento individualizado, de acordo com seu caso e suas necessidades, que muitas vezes inclui o uso de remédio para controlar alguns sintomas, como a agitação ou ansiedade excessiva” reforça Maia.

O acompanhamento de um psicólogo é essencial e um importante aliado nessa jornada, pois possibilita que a pessoa consiga compreender suas experiências, expor suas angústias e medos, além de ajudar a lidar com as próprias emoções. “o acompanhamento de perto por um psicólogo é fundamental para que ajude a pessoa a aprender habilidades sociais e superar os mais diversos desafios diários sem o medo do julgamento”, finaliza o especialista.

Sobre o HSANP: Hospital referência na Zona Norte da Grande São Paulo e tem como missão ser assertivo com práticas humanizadas, promovendo a melhor experiência e resultados no cuidar de pessoas.

Leia também:

Síndrome de Asperger: conheça mais sobre o autismo de alto funcionamento e a importância do diagnóstico precoce

 [email protected]