AEAM participa da elaboração de diretrizes técnicas que integram o Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito

 Manual de Sinalização Cicloviária Com assento na Câmara Temática de Engenharia de Tráfego e Sinalização de Trânsito do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a Associação de Engenheiros e Arquitetos de Maringá (AEAM) participou da elaboração de três volumes de diretrizes técnicas publicados esta semana e que passam a integrar o Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito. O Contran é o órgão máximo consultivo e normativo do Sistema Nacional de Trânsito do Brasil.
Os materiais publicados, em forma de manuais, estabelecem normas sobre Sinalização Cicloviária, Dispositivos Auxiliares de Sinalização e Sinalização de Cruzamentos Rodoferroviários, este último uma atualização do Manual de Cruzamentos Rodoferroviários publicado na Coleção Serviços de Engenharia em 1979, e que teve uma segunda edição em 1987. Já o manual sobre Sinalização Cicloviária é a primeira iniciativa de padronização da sinalização viária para bicicletas em todo o Brasil e traz normas para ciclovias e ciclofaixas, rampas, pintura, pavimento, compartilhamento de vias, iluminação, placas, semáforos. A elaboração dos três manuais envolveu consultas públicas abertas pelo Contran para recolher propostas e contribuições da população.
O Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito é elaborado pela Câmara
Temática de Engenharia de Tráfego e Sinalização de Trânsito com base na Resolução Contran nº 160, de 22 de abril de 2004. O documento estabelece as normas a serem seguidas em todo país no que se refere às sinalizações verticais e horizontais, aos dispositivos auxiliares de sinalização, à sinalização semafórica e à sinalização temporária no trânsito.

Os representantes da AEAM na Câmara Temática de Engenharia de Tráfego e Sinalização de Trânsito são a presidente da entidade, engenheira eletricista Aline Priscila Bortolotto, como titular, e o engenheiro civil Gilberto Donizete Delgado, como suplente. A função das câmaras técnicas é atuar junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) por meio de assessoramento técnico, para estudar e oferecer sugestões ao colegiado do órgão. São cinco câmaras no total e cada uma delas é formada por 23 representantes dos governos federal, estadual e municipal, e também da sociedade civil. Além de participar de reuniões regulares do Contran, os representantes da AEAM também têm atuado no Grupo de Trabalho de identificação e tratamento de pontos críticos de acidentes de trânsito do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito).




DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui