Startup que faz o salário de brasileiros render ganha aporte

Startup se destaca no DemoDay da Campus Party Brasil 2021 e vence a competição, garantindo o recebimento de recursos para aceleração na CapTable, além de mentoria e uma vaga na próxima edição do evento.

Felipe Oliveira, Lúcio Araújo e Renan Araújo, fundadores do People Club.

 

Em apenas três minutos, os sócios do People Club provaram ser donos de um modelo de negócio muito relevante. Assim, venceram o DemoDay, evento realizado pelo maior festival de tecnologia do mundo: a Campus Party Brasil, em parceria com a Prefeitura de São Paulo.

Como prêmio, a startup paranaense do grupo ROIT BANK – accountech que desenvolve soluções em tecnologia para contabilidade e finanças – terá a possibilidade de receber mentoria, um stand na próxima edição da Campus presencial e mais R$ 500 mil através da captação de recursos por meio da CapTable. Esta é uma plataforma considerada referência em investimentos em inovação no Brasil que seleciona startups com grande potencial de serem os próximos unicórnios e traz a pessoas comuns a possibilidade de investimento em novos negócios. Desde a sua criação, a CapTable conquistou a confiança de mais de quatro mil investidores que aportaram cerca de R$ 30 milhões em startups.

“Para nós, essa conquista significa mais uma importantíssima validação do nosso modelo de negócio e, principalmente, do nosso propósito de construir um Hub que centraliza benefícios para empresas, colaboradores e parceiros”, comemora o CEO e fundador da startup, Renan Araújo.

Este não foi o primeiro aporte recebido pelo People Club. Em dezembro, a startup foi selecionada pela Relp Aceleradora, empresa criada pelo fundador da China in Box, Robinson Shiba. “Nascemos em um ano difícil, de adversidades, marcado pela pandemia [de Covid-19]. Mesmo com as dificuldades, consolidamos o empreendimento e estamos prontos para a expansão”, afirma Renan.

A startup tem metas ambiciosas. O modelo já alcança mais de 17 mil pessoas em todo o Brasil e projeta chegar aos 50 mil usuários até o fim do ano, além de 200 empresas conectadas e um GMV superior a 2MM (volume movimentado através do hub).

“Sonhamos muito alto e o preço que se paga por sonhar alto é esse longo caminho cheio de desafios e constantes validações. Temos uma jornada de evolução do produto extremamente relevante e com um conceito único. Pretendemos conquistar autoridade e relevância em uma missão de apoio às empresas, com o objetivo de escalar a gestão de benefícios de forma centralizada e mais eficiente, buscando, ainda, economia e condições competitivas, aumentando o budget das empresas, fortalecendo o poder de compra do colaborador e promovendo o acesso a este mercado para parceiros e lojas conveniadas”, diz Renan.

O People Club nasceu em plena pandemia inicialmente como um clube de descontos. Com os aportes da marca, a startup desenvolveu novos serviços, ampliou parcerias, conquistou clientes e tornou-se um negócio próprio, configurando-se como hub de benefícios. Entre os benefícios, o People Club fornece à área de Recursos Humanos (RH) das empresas-clientes a possibilidade destas ofereceram a seus colaboradores benefícios flexíveis, assistências médicas e odontológicas, planos de previdência privada, antecipação de salários e crédito, além dos tradicionais descontos em um amplo leque de produtos e serviços. São cerca de 5 mil marcas parceiras.

“Nossa empresa tem pouco tempo de vida, porém o nosso sonho e o nosso propósito já vêm de muitos anos. Temos um time enxuto, mas muito qualificado e engajado. Montamos de forma cirúrgica nosso quadro societário, onde todos os sócios, além de experiência e qualificação, estão 100% alinhados à cultura e ao propósito da empresa como um todo”, completa o CSO e também fundador do People Club, Lúcio Araújo.

DEMODAY

O evento, cujo objetivo é promover negócios e conexões de hubs, foi realizado de maneira remota, via DemoDay Campus Party Brasil em parceria com a Prefeitura de São Paulo. Ele seleciona startups que têm potencial de serem os próximos unicórnios, além de trazer ao investidor comum informações sobre novas possibilidades de negócios.

Cada startup participante na disputa teve três minutos para apresentar seu projeto e outros cinco para interagir com os investidores e representantes de organizações, como a CapTable, Gouvêa Ecosystem, Tecnopuc, Porto Digital, Orbi Conecta, Sai do Papel, AB Startup, AB Fintech, Astella Investimento, Domo Investment, Shawee, Sony Music e Skylar.

Em 2021, a segunda edição da Campus Party Digital Edition no Brasil contou com a participação de outros países da América Latina, como Argentina, Colômbia, Uruguai e Paraguai.

Últimas notícias

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui