Galpões logísticos em Curitiba estão aquecidos puxados pelo aumento do e-commerce

Curitiba, São José dos Pinhais e Campina Grande do Sul lideram negociações no Paraná; operações podem gerar mais de mil vagas de trabalho

GALPÕES

Em meio à explosão do e-commerce e à mudança do modelo de consumo, o setor de locação de galpões registrou um crescimento expressivo em 2021. Os condomínios logísticos, que já vinham de uma tendência de alta, bateram recordes no cenário nacional puxados pelo avanço do comércio eletrônico. No Paraná, Campina Grande do Sul, que abriga um dos principais condomínios logísticos do estado, tem um dos maiores estoques, atrás apenas de Curitiba e São José dos Pinhais. Outras cidades em destaque são Pinhais, Araucária e Quatro Barras.

De acordo com a pesquisa de mercado feita pela Top Soluções Imobiliárias, quando analisadas as seis cidades, a taxa de vacância, que indica o percentual de metros quadrados disponíveis para locação, sofreu um acréscimo no quarto trimestre 2021, com 11,6%. Mesmo com a alta, o percentual não significa que há espaços ociosos. Na verdade, o número reflete aumento de oferta: o Mega Centro Logístico, administrado pela Capital Realty, empresa líder no Sul, aumentou sua área para receber novos clientes em 2022, por causa da intensa demanda. O condomínio deve receber novas obras de expansão no futuro.

Ainda segundo o relatório, a absorção líquida do período das seis cidades – saldo entre novas locações e devoluções – fechou o ano com 26.369 m².

“A pandemia acelerou uma mudança nos hábitos de consumo da população, impulsionando significativamente as compras via internet. Itens que eram comprados nas lojas físicas passaram a ser feitos nos sites. Hoje, as famílias compram itens online para consumo diário, inclusive em supermercados. A agilidade na entrega tornou-se um fator preponderante neste novo mercado, fazendo com que estas empresas invistam em novos centros de distribuição, descentralizados e próximo ao seu cliente. Esta tendencia continuará aquecida, garantindo um crescimento dos condomínios logísticos nos próximos anos”, analisa Jaime Galperin, diretor da Top Soluções Imobiliárias.

Valores de locação aumentaram

A pesquisa apontou um valor médio de R$ 19,24 por metro quadrado, com um significativo aumento em relação ao período anterior, 8,76%. Em São José dos Pinhais, o valor de locação no quarto trimestre de 2021 foi de R$ 20,04 por m². Em Pinhais, este valor foi de R$ 18,00 e na capital paranaense, a média pedida por metro quadrado foi de R$ 19,67.

Mercado aquecido

Líder no Sul do país, a Capital Realty entregou em janeiro a ampliação de seu principal condomínio logístico, o Mega Curitiba. O empreendimento fica em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana da capital, e passou a oferecer em 2022 mais de 27 mil metros quadrados de áreas de armazéns, permitindo que novas empresas usem o espaço para montar seus centros de distribuição. Com a ampliação, o condomínio passou de 70 mil para aproximadamente 100 mil metros quadrados de área construída. 

A Capital Realty é uma das principais empresas no Paraná e o complexo recebeu investimento de R$ 50 milhões. A empresa conta com um portfólio de mais de 500 mil m² de área construída.

Na avaliação do CEO, Rodrigo Demeterco, a entrega é estratégia para atrair novas empresas para o estado. “A transformação do varejo e a adesão dos consumidores brasileiros ao e-commerce têm impulsionado as locações de galpões logísticos no estado do Paraná e no Sul como um todo. Houve um crescimento expressivo com a entrada de grandes companhias na região e essas empresas são atualmente os maiores demandadores de espaço”, analisa.

Campina Grande do Sul é uma cidade que está às margens da BR-116, principal ligação do Sul com São Paulo. Destacam-se também às rodovias que dão acesso à BR-376 (ligação do norte com o litoral de Santa Catarina via BR-101) e BR-476 (ligação com sul do estado). A cidade tem um parque industrial concentrado no segmento alimentício, metalmecânico, plástico, tintas e móveis.

Já Curitiba concentra grandes e pequenos galpões na região sul da cidade, onde fica a maior parte de suas indústrias. A proximidade com a região central favorece o last mile logístico e a estrutura viária é de alto tráfego, já que o traçado do contorno rodoviário oferece fácil acesso às principais rodovias.

Geração de empregos

Com o crescimento dos galpões, a economia local nas cidades que abrigam esses grandes empreendimentos também é fortalecida. No Mega Curitiba, apenas a operação de uma grande empresa de social e-commerce, que opera no local, emprega mais de 300 pessoas atualmente. Somando todas as operações atuais, o Mega tem capacidade de gerar de 800 a 1000 empregos para atender a demanda logística.

Mercado nacional

O mercado de condomínios logísticos encerrou o ano superando a marca de 19 milhões de m² de alto padrão no país, de acordo com o relatório mais recente da Colliers International Brasil. Entre novos empreendimentos e ampliações no quarto trimestre de 2021, foram entregues 837 mil m² no período e o acumulado do

ano ultrapassou os 2 milhões de m². O trimestre registrou absorção líquida de 450 mil m², e a taxa de vacância do setor está em 11,4%.

Os setores que mais se destacaram nas locações do quarto trimestre foram os de varejo (21%) e e-commerce (16%), que juntos somaram mais de 260 mil m² dos espaços locados no período. Em seguida, aparecem os setores de transporte e logística (13%) e alimentos, bebidas e fumo (6,8%).

Dos 837 mil m² de novos empreendimentos entregues durante o trimestre, a grande maioria está localizada no estado de São Paulo, que é o maior polo logístico do Brasil. Ao todo, foram entregues 15 novos imóveis no quarto trimestre em 9 estados.

No acumulado do ano, as locações chegaram a 3,5 milhões de m². O estado que mais realizou locações foi São Paulo, que alcançou 1,7 milhão m², representando 50% do total geral, seguido de Rio de Janeiro (514 milm²) com participação de 15%, e Minas Gerais (312 mil m²) com 9% do mercado.

A absorção líquida fechou o ano com mais de 2 milhões de m², recorde anual, superando em 600 mil m² o resultado de 2020. A vacância está abaixo dos 10% em 11 estados do país.

Sobre a Capital Realty

A Capital Realty é referência na área de condomínios logísticos industriais, infraestrutura logística, construção e administração de empreendimentos sob medida, com um portfólio de mais de 500 mil m² de área construída. Com forte atuação nos três estados da Região Sul e em São Paulo, a Capital Realty oferece uma equipe formada por gestores e engenheiros com larga experiência no mercado imobiliário e se destaca pela capacidade técnica de desenvolver, executar e gerir ativos imobiliários de forma inovadora. Os empreendimentos levam a bandeira Mega, classificados como padrão A de infraestrutura logística/industrial e disponibilizam todo o suporte para os clientes que se instalam nos centros logísticos.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui