Mês da mulher: a importância da realização de exames preventivos

Março é conhecido como o mês da mulher, e nesse período tão especial e simbólico, não podemos esquecer da saúde feminina. A prevenção de diversas doenças é feita através de exames os quais podem identificá-las ainda no início, o que as torna mais fáceis de tratar e evitar que cheguem ao estágio de câncer, principalmente quando se fala da saúde sexual, já que a maioria das patologias são silenciosas.

 Sem um tratamento adequado e ágil, o câncer é uma das possíveis doenças que possui potencial evolutivo, mas outras ocorrências também podem surgir. “Quando falamos da saúde da mulher, precisamos abordar a saúde sexual, onde o diagnóstico tardio pode gerar a infertilidade, câncer, prematuridade, má formação fetal e até aborto”, explica Rodrigo Faitta Chitolina, supervisor de laboratório e responsável técnico do ID8 – Inovação em Diagnóstico.

“Algumas Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) podem ser causadas por mais de 30 tipos de vírus, bactérias, fungos e protozoários que, apesar de serem curáveis, muitas vezes são assintomáticos”, afirma Chitolina. A falta de diagnóstico preciso também é um problema, já que aumenta a resistência dos patógenos. Algumas doenças como a Mycoplasma genitalium apresentam resistência a antibióticos.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), os principais casos de câncer em mulheres no Brasil são os de mama, cólon e reto e de útero. No mundo, o câncer de colo de útero é o quarto tipo mais frequente em mulheres, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). O responsável por quase de 100% dos casos de câncer do colo do útero é o Papiloma Vírus Humano (HPV), que pode ser identificado através de exames de imagem ou de análise, e em alguns casos, o pedido de biópsia é feito.

“Algumas Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) podem ser causadas por mais de 30 tipos de vírus, bactérias, fungos e protozoários que, apesar de serem curáveis, muitas vezes são assintomáticos”, afirma Chitolina. A falta de diagnóstico preciso também é um problema, já que aumenta a resistência dos patógenos. Algumas doenças como a Mycoplasma genitalium apresentam resistência a antibióticos. Já a Sífilis, por exemplo, foi considerada uma epidemia e tem um crescente número de casos ano após ano.

Paraná teve queda em número de casos 

Nos últimos anos houve uma redução considerável nos casos de ISTs em mulheres no estado do Paraná. Um dos principais motivos para essa redução pode ter sido ocasionada pela pandemia, com o agravamento da Covid-19 no mundo inteiro as pessoas deixaram de procurar atendimento médico para outras doenças.

Segundo a Secretaria da Saúde do Paraná (SESA), em 2019, foram registrados 697 casos de mulheres que adquiriram Hepatite B. Já em 2020, o número diminuiu para 369, chegando a 301, no último ano. Em outras infecções a diferença de casos chegou a ser mais expressiva, como é o caso da Sífilis. Em 2019 foram registrados 4.750 novos casos, em 2020 o número caiu para 2.739 e chegou a 268 em 2021. 

A redução no número de casos de Aids entre o período de 2017 e 2020 foi de 52%. O HIV (vírus causador da Aids) também teve uma diminuição no número de casos, com uma queda de 29% no mesmo período. Nesse caso, a doença costuma ser assintomática até evoluir para a Aids, ou seja, não necessariamente uma pessoa que é diagnosticada com HIV, possui Aids. A doença não tem cura, mas há tratamentos disponíveis. 

Exames de prevenção

Os exames preventivos são a melhor saída para evitar diversos tipos de doenças e até mesmo problemas na gravidez – tanto para a mulher, quanto para o feto. Essas análises acompanham a mulher em todas suas fases da vida. Alguns são realizados desde a primeira consulta ao ginecologista, outros, após uma determinada idade ou ocorrência e devem ser repetidos todos os anos ou conforme indicação do médico. Confira alguns e o que identificam e previnem: 

Ultrassom pélvico: Exame não invasivo que possibilita ver útero, colo uterino, vagina, tubas uterinas e ovários. Geralmente é indicada a realização desde a primeira menstruação, pois garante que não existam complicações. Também é possível realizar o ultrassom transvaginal, exame que permite visualizar as mesmas estruturas de forma interna;   

Papanicolau: Neste exame é possível identificar diversas doenças, como, por exemplo, Clamídia, Sífilis, Gonorreia, HPV, Candidíase, Tricomoníase e também detectar a presença de nódulos ou cistos. A realização desse exame é necessária para mulheres que iniciaram sua vida sexual, principalmente as que possuem entre 25 e 59 anos;  

Mamografia e ultrassom das mamas: O exame de mamografia é pedido para mulheres a partir dos 40 anos, ou que tenham casos de câncer de mama na família. Ele detecta possíveis nódulos ou cistos. Para mulheres com menos de 40 anos, é indicado o ultrassom das mamas, e caso haja alguma alteração, é necessária a realização da mamografia;

Exame de sangue: Através da análise de amostras é possível verificar os níveis de colesterol, anemia, triglicérides, vitaminas e até mesmo se há a presença de alguma IST). Qualquer irregularidade nesse exame deve ser verificada posteriormente, pois provavelmente indica que algo está errado.

Importância de um resultado rápido e preciso

Assim como em diversas doenças, quanto mais rápido e com exatidão o resultado das ISTs for, mais cedo o  tratamento adequado irá iniciar e as chances de um avanço na patologia serão menores. Na ID8, o exame de Painel HPV faz a detecção do HPV e genotipa 35 tipos do vírus, informando se é de alto ou baixo risco e qual é o genótipo específico, dando a oportunidade do médico realizar um tratamento com maior direcionamento e aumentar as chances de um diagnóstico precoce de um possível câncer.

Os sintomas e sinais das ISTs são bastante similares, então apenas o diagnóstico clínico pode levar a um tratamento empírico e até mesmo incorreto, por esse motivo se faz necessário a realização de exames. Com a agilidade no diagnóstico, os médicos possuem uma segurança maior sobre como tratar seus pacientes e evitar possíveis anormalidades. “Outra vantagem do painel de ISTs molecular é que, para uma gestante, esse diagnóstico molecular ágil e sensível pode evitar complicações, como a prematuridade, onde muitas vezes o diagnóstico de ISTs pelas metodologias tradicionais de sorologia e/ou cultivo podem demorar muito tempo para ter um resultado e laudo, levando a casos de nascimentos prematuros devido a esse diagnóstico tardio”, finaliza o responsável técnico do ID8. 

Sobre o ID8 

Um laboratório de apoio focado no diagnóstico molecular com entrega rápida, oferecendo resultados em poucas horas após o recebimento da amostra, com um fluxo de trabalho operacional os 7 dias da semana. Os serviços vão além do diagnóstico. Metodologias simples e ágeis que reduzem consideravelmente o tempo de entrega do resultado, possibilitando ao paciente a chance de um tratamento mais assertivo e direcionado. Saiba mais em: www.id8diagnostico.com.br

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui