Geladeira inteligente e drones vão ajudar E-commerce em 2023

O futuro do E-commerce está conectado ao sucesso e o comércio eletrônico vai evoluir ainda mais em 2023. Os armazéns das lojas de departamentos estarão localizados em um número maior de cidades, priorizando o imediatismo das entregas. O objetivo de equiparar compras online com compras físicas pode ser facilmente alcançado. Essas são as tendências do comércio eletrônico mundial segundo Keslen de Andrade Deléo, Consultora de Tecnologia do Farol do E-Commerce:

“Este é só um fator que vai alavancar as lojas online em 2023 ao lado do avanço da tecnologia de Big Data, quando as lojas vão analisar e personalizar as suas ofertas para cada cliente. O surgimento de eletrodomésticos conectados à Internet fará com que as lojas online aumentem suas vendas. Esses dispositivos poderão solicitar os alimentos que faltam no supermercado de sua escolha. O uso de drones para distribuir produtos comprados online agilizará a entrega”.

Geladeiras ajudam nas vendas online?
As geladeiras serão as principais incentivadoras das vendas online. Geladeiras inteligentes contam com aplicativos para listas de compras e pesquisar receitas, e alguns modelos possuem câmera interna que permitem ver o que está dentro dela pelo smartphone:

“A smart da LG possui até display touch de 20 polegadas, capaz de rodar Windows 10 controlada pela assistente de voz Cortana para executar ações como tocar músicas ou exibir vídeos. Imagine alguém cozinhando e lembrando que precisa comprar alguma coisa? As vendas onlines estão ficando mais fáceis de serem realizadas”.  

O futuro do comércio eletrônico
Em 2023, países como China e Índia, que estão na vanguarda do comércio online, esperam faturar cinquenta e seis bilhões de dólares e manter seis e meio por cento do total de vendas em todo o mundo.

Países como Brasil e Estados Unidos, os próximos da lista dos maiores beneficiários do comércio eletrônico, mas que  em pouco tempo podem se equiparar com os gigantes das compras:

“O cliente online busca os mesmos serviços e atenção que encontra em uma loja física. Se uma loja virtual conseguir oferecê-los, também ganhará clientes e isso o ajudará a melhorar o resultado do seu negócio e entrar na briga pelo bolo do e-commerce. O que falta no Brasil são mais lojas virtuais, para competir com China e Índia, e o primeiro passo é criar uma loja confiável e que possa competir na web.” completa a especialista.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui