Ultrassom microfocado: principais benefícios dessa tecnologia para o tratamento da flacidez

O ultrassom microfocado é uma das opções mais inovadoras quando o assunto é o tratamento da flacidez. Há alguns anos, a primeira opção para corrigir a flacidez seriam os procedimentos cirúrgicos, mas atualmente a busca por técnicas cada vez menos invasivas e mais seguras está em alta.

Nos consultórios dermatológicos, por exemplo, é graças à evolução de várias tecnologias que pacientes podem desfrutar de tratamentos cada vez mais completos, de resultados mais rápidos e com conforto e comodidade necessários.

Mas por que o ultrassom microfocado está tão na moda? 

Segundo a Dra. Adriana Awada, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro fundadora da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, o ultrassom microfocado tem chamado a atenção pois é a única tecnologia que consegue chegar na porção muscular do nosso corpo, gerando leves machucados (sem lesionar a pele), que irão gerar fibrose e o reposicionamento da musculatura.

“O ultrassom microfocado proporciona um efeito de lifting facial de forma não invasiva. Assim que o músculo tratado recebe o calor, ele se reposiciona e volta a sustentar nossa pele, tanto da face como do corpo”, completou a médica, que também é membro titular da American Academy of Dermatology (AAD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

Por que a pele fica flácida

O colágeno, proteína que dá estrutura e elasticidade à pele, começa a sofrer degradação aos 25 anos. Por isso, com o passar dos anos, a pele vai ficando mais frágil e suscetível ao aparecimento da flacidez. Se o paciente possui tendência à flacidez, essa perda se revela ainda mais cedo. 

A Dra. Adriana lembra que a prevenção e o cuidado precoce sempre são mais efetivos e vantajosos, principalmente quando se buscam resultados naturais.

“Os tratamentos preventivos devem acontecer por volta dos 25 anos, e de acordo com o grau de flacidez, deverão ser realizados 2 ou 3 vezes no ano”, ressaltou a dermatologista.

O tratamento com ultrassom microfocado pode ser realizado por qualquer paciente com queixa de flacidez facial ou corporal. 

Principais benefícios do ultrassom microfocado

– é um procedimento não cirúrgico, com técnica minimamente invasiva. É feito em consultório e não necessita de tempo de recuperação;

– é indicado para todos os tipos de pele;

quase não há contraindicação, exceto em mulheres gestantes ou em pacientes que têm implantes metálicos na região em que será tratada;

– pode ser realizado em qualquer época do ano, já que a técnica não lesiona a pele, sendo possível realizá-lo também no verão;

sem downtime, ou seja, com menos tempo fora de suas atividades habituais;

– os resultados são imediatos e também gradativos, se potencializando ao longo dos meses.

Tecnologia digital e mais precisa

Uma das novidades do mercado é o tratamento com ultrassom microfocado através da tecnologia Liftera, que apresenta soluções não invasivas para lifting e contorno facial e corporal. Ela possui dois tipos de aplicadores – Caneta Liftera e o Aplicador em Linha – , potencializando os resultados e oferecendo mais conforto e segurança ao paciente.

A médica destacou, ainda, a capacidade dessa tecnologia de tratar sem dor. 

“Sua tecnologia digital, mais precisa e atual, permite que o conforto do paciente seja enorme, sem falar que conseguimos fazer um tratamento extremamente individualizado. Os resultados são visíveis e a pele não fica marcada. Depois do resultado inicial, temos um reposicionamento do músculo e consequentemente da pele que está sobre ele nos próximos 3 a 4 meses”, esclareceu Adriana.

Por ser um tratamento não cirúrgico, o Liftera não necessita preparo nem anestésico tópico antes. Os resultados só melhoram com o passar dos meses, e a área tratada recebe sustentação necessária para acolher qualquer outro procedimento com outra tecnologia , ainda no mesmo dia.

Potencializando os resultados

As tecnologias existentes hoje auxiliam e muito no estímulo do colágeno e, consequentemente, no combate à flacidez. No entanto, para que os resultados sejam ainda mais satisfatórios, Adriana lembrou da importância da alimentação saudável e dos cuidados diários com a pele.

“Todo tratamento, seja ele estético ou de saúde, precisa ser acompanhado de boas rotinas. Os procedimentos estéticos ajudam e muito a recuperar a beleza e a qualidade da pele. Mas quando o paciente associa atividade física regular, faz a limpeza da pele diária, skincare, usa o filtro solar corretamente e aposta numa alimentação equilibrada, certamente são esses os pilares para um bom resultado de tratamento”, finalizou a dermatologista.

Sobre Adriana Awada (CRM 62432 / RQE 37904

Adriana Awada é médica dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, membro titular da American Academy of Dermatology (AAD) e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD). Também é membro fundadora da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia.

Instagram: https://www.instagram.com/clinicaadrianaawada/