Dia do Síndico: função se reinventa perante os desafios da gestão condominial

Além das capacidades administrativas, a boa relação interpessoal e o perfil intermediador são habilidades essenciais para a função

No dia 30 de novembro, se comemora o Dia do Síndico, o indivíduo responsável pela gestão dos condomínios. Para que as regras sejam seguidas, as melhorias sejam implementadas e a convivência seja tranquila, é necessário que um responsável represente os interesses comuns. Hoje, para atender aos desafios que surgem no dia a dia nos condomínios, os requisitos para a função vão muito além da administração.

O artigo 1.348, da Lei 10.406, esclarece que ao cargo de síndico competem atividades práticas, como a convocação de assembleias de condomínios, mas também atividades relativas, como a representação do condomínio e a atuação em defesa dos interesses dos moradores. Por isso, as tarefas na rotina condominial requerem um equilíbrio entre a execução e a mediação.

“Hoje, é possível observar que os condomínios buscam, cada vez mais, profissionais que tenham know-how não só na parte administrativa, mas que também tenham um perfil mediador”, observa Arthur Pontes, advogado e analista jurídico do Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi-PR).

A capacidade de otimizar as relações tanto com os condôminos quanto com os prestadores de serviço e fornecedores é indispensável para que a gestão tenha sucesso. Em condomínios pequenos, as relações costumam ser mais próximas e constantes. Já no caso de grandes complexos, o profissionalismo e a organização devem guiar as iniciativas e a conduta.

Para o especialista, a função conta com um grande desafio: a administração das relações interpessoais. “O síndico precisa ter um perfil intermediador e ser uma pessoa que trabalha ativamente pelo bem-estar coletivo, pois quando essas relações não são bem gerenciadas, elas acabam influenciado na própria administração do condomínio e, consequentemente, afeta todos os moradores”, acrescenta.

Com o passar dos anos, por mais que as atribuições do cargo sejam as mesmas, o contexto, as ferramentas e o público passam por constantes mudanças. Nesse sentido, Pontes adiciona ainda que, por conta de todos os avanços na tecnologia e no próprio mercado, os síndicos são desafiados diariamente a trazer para os condomínios as tecnologias que garantam maior efetividade e economia para a rotina dos moradores.