Câncer no fígado: a importância da prevenção e hábitos saudáveis

A prevenção do câncer é da maior importância para mulheres e homens, pois, embora existam muitas campanhas de prevenção, a doença continua a surgir nas estatísticas com números crescentes em todo o país. No caso câncer de fígado, por exemplo, para o ano de 2023 o Instituto Nacional do Câncer /INCA, estima 10.700 novos casos no Brasil, a maioria em homens. Os pacientes mais propensos a esse tipo de tumor estão na faixa acima de 50 anos, mas, em 2022, o Ministério da Saúde colocou a idade média em 59 anos.
O câncer de fígado ou hepatocarcinoma é um tipo de tumor que se desenvolve nesse importante órgão do corpo humano, a partir, geralmente, de células hepáticas chamadas hepatócitos, sendo estas uma das formas mais comuns de câncer de fígado.
O hepatocarcinoma está frequentemente associado a condições hepáticas pré-existentes, como cirrose hepática, hepatite crônica B ou C e consumo excessivo de álcool, sendo ligeiramente mais comum em homens devido, justamente, ao consumo de bebidas alcoólicas”, destaca o especialista, chamando atenção para os sintomas da doença, que podem incluir dor abdominal, perda de peso e de apetite, além de fadiga e inchaço abdominal.
O diagnóstico é feito através de exames clínico e de imagem, como ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, além de análises de sangue para verificar os níveis de marcadores tumorais.
As crianças e jovens geralmente têm um tipo especial de Hepatocarcinoma, chamado fibrolamelar.
O tratamento do hepatocarcinoma pode envolver cirurgia, quimioterapia, radioterapia, terapia-alvo e, em alguns casos, transplante de fígado. O prognóstico do hepatocarcinoma depende do estágio do câncer no momento do diagnóstico e da resposta ao tratamento.
É importante ressaltar que a prevenção do hepatocarcinoma envolve a adoção de hábitos saudáveis, como evitar o consumo excessivo de álcool, manter uma dieta equilibrada, vacinar-se contra hepatite B, realizar exames de rotina para detectar doenças hepáticas e seguir as orientações médicas para o controle de condições hepáticas crônicas.